Venezuela: autoridades devem parar ataques armados contra a população

Imprimir
23 de fevereiro de 2019 Política internacional Conflitos
Protesto em Caracas, no dia 23 de janeiro de 2019. 	© Roman Camacho/SOPA/LightRocket/Getty

No marco da espera por ajuda internacional e, em respostas às denúncias de uso de força e ataques com armas de fogo – incluindo fuzis tipo AK – a manifestantes em Santa Elena de Uairén, estado de Bolívar e em outras localidades de Venezuela, que deixaram pelo menos duas pessoas mortas e outras 22 feridas, Erika Guevara Rosas, diretora da Anistia Internacional para América, declarou:

“Exigimos que Nicolás Maduro pare o uso da força contra as pessoas. As forças de segurança devem parar de usar fuzis de guerra e outras armas de fogo contra a população e os grupos armados pró-Nicolás Maduro devem parar de existir”.

“Os ataques armados contra a população são graves violações de direitos humanos e do direito internacional”.

.

Saiba mais

Venezuela: Fome, castigo e medo, a fórmula de repressão das autoridades sob comando de Nicolás Maduro

Venezuela: Autoridades devem libertar os jornalistas detidos por cobrir a crise atual

Venezuela: mais de 12 pessoas mortas em protestos

Relatório: Venezuela: Autoridades têm o dever de parar de criminalizar e matar jovens vivendo na pobreza

23 de fevereiro de 2019 Política internacional Conflitos

Mais Notícias

17 de maio de 2019 | LGBTI

Taiwan é o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo

"O amor venceu o ódio, a igualdade venceu a discriminação em Taiwan"

17 de maio de 2019 | ___

Vaga: Coordenador/a de Pesquisa, Política e Advocacy

Quer trabalhar conosco? Temos vaga aberta na equipe de Pesquisa, Política e Advocacy!

14 de maio de 2019 | Política internacional Liberdade de expressão Conflitos

Venezuela: Crimes contra a humanidade exigem uma forte resposta da justiça internacional

Até que haja um caminho claro em direção à verdade, justiça e reparações, a Venezuela continuará atolada nesta série crise de direitos humanos e repressão
Carregar mais notícias