Filtrar Ações

Selecionar região:

YREN ROTELA E MARIANA SEPÚLVEDA: Não nos diga quem nós somos!

Yren e Mariana são duas ativistas que lutam pelos direitos das pessoas LGBTQIA+  e pelo reconhecimento legal da identidade das pessoas trans no Paraguai. Apoie a mobilização delas!

Inscreva-se e acesse os Guias de Educação em Direitos Humanos da ‘Escreva Por Direitos 2022/23’

Ao todo,  são 5 Guias educativos elaborados a partir das histórias reais de pessoas que lutam contra as injustiças e defendem os direitos humanos ao redor do mundo. Confira:

 

 

JOANAH, NETSAI E CECILLIA: Sequestradas, torturadas e abusadas por protestarem

Depois de liderarem um protesto no Zimbábue, as mulheres foram presas, sequestradas e torturadas. Agora, elas estão sendo acusadas e podem pegar anos de prisão. Exija justiça!

ALEKSANDRA SKOCHILENKO: Presa por se opor à guerra

Por se manifestar contra a invasão da Ucrânia pela Rússia, Aleksandra está detida em condições terriveis e se condenada, pode pegar até 10 anos de prisão.

CHOW HANG-TUNG: Presa por lembrar das vítimas de repressão

Chow está na cadeia por incentivar as pessoas a se manifestarem pacificamente em homenagem às vítimas fatais de repressão policial na China. Exija sua liberdade!

 

DORGELESSE NGUESSAN: Presa por participar do seu primeiro protesto

Mãe solo e empreendedora, Dorgelesse foi presa e condenada por ‘insurreição’ ao participar de um protesto em Camarões. Exija a sua liberdade agora!

SHAHNEWAZ CHOWDHURY: Enfrentando a prisão por um post no Facebook

Shahnewaz pode ser condenado à prisão por causa de post em defesa do meio ambiente. Diga à Bangladesh para retirar as acusações contra ele!

E-book “COMO CONTRIBUIR PARA UMA SOCIEDADE ANTIRRACISTA: Um guia pra quem acredita na garantia de TODOS os Direitos Humanos – Baixe aqui!

A partir da campanha ‘Toda Friday é Black” da Anistia Internacional Brasil, este material reúne conteúdos, dicas e ações para pessoas comuns, educadores, pais, ativistas se engajarem na luta contra o racismo. Confira!

Ação Urgente: Justiça por Bruno Pereira e Dom Phillips

O indigenista brasileiro Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram brutalmente assassinados na Amazônia. Pressione as autoridades brasileiras  para que garantam uma investigação rápida, imparcial e independente.