A Anistia Internacional Brasil, o Instituto Marielle Franco, a mandata da  vereadora Mônica Benício, Agatha Felix, Justiça Global, Terra de Direitos e a Coalização Negra por Direitos lançaram hoje o Comitê Justiça por Marielle e Anderson e a plataforma de pressão interferencianao.org, onde qualquer pessoa poderá enviar um e-mail ao governador do Estado do Rio de Janeiro, Claudio Castro, e ao Procurador de Justiça do Rio de Janeiro, Luciano Mattos, para cobrar respostas e justiça por Marielle e Anderson.

Um ato em frente ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, neste 14 de julho, 3 anos e 4 meses após o brutal assassinato de Marielle e Anderson, exigiu que as investigações não tenham interferência externa e sejam solucionadas. O Procurador de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Luciano Mattos, recebeu para uma audiência, Jurema Werneck, diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil e os familiares de Marielle Franco: Marinete Silva, mãe da vereadora, Anielle Franco, irmã de Marielle e diretora executiva do Instituto Marielle Franco, a companheira de Marielle e vereadora Monica Benício e Luyara Franco, filha de Marielle.

“[O Procurador de Justiça] Ele reiterou seu compromisso com a independência do Ministério Público e a continuidade das investigações. E nós tivemos a oportunidade de reforçar para ele que continuaremos observando, acompanhando e pressionando, se necessário, para que a gente saiba o quanto antes quem mandou matar Marielle Franco e por quê”, afirmou Jurema Werneck, em entrevista aos jornalistas na saída do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

As entidades de direitos humanos e familiares de Marielle e Anderson enviaram ofícios ao Governador Cláudio Castro e ao Procurador Geral do Estado, Luciano Mattos. Nas comunicações oficiais as organizações pedem, entre outras demandas, a maior participação dos familiares sobre os próximos passos envolvendo a ação penal movida contra os executores e as investigações dos mandantes, audiências públicas com o governador e o procurador, além de esclarecimentos sobre as denúncias de interferências externas na investigação veiculadas na imprensa.

 

Mais Publicações