Nesse momento, em meio à uma pandemia, milhares de pessoas estão arriscando tudo na Colômbia para exigir do governo responsabilidade! Atue agora e exija que o governo acabe com a repressão à liberdade de expressão no país!

Desde 28 de abril, milhares de pessoas em toda Colômbia aderiram aos protestos em resposta à reforma tributária do presidente Iván Duque. Elas também protestam contra a má implementação do Acordo de Paz e as mortes de defensoras e defensores de direitos humanos. A resposta do governo tem sido a militarização e a repressão por meio de seu “Esquadrão Móvel Anti-Perturbação”, o ESMAD. Recebemos denúncias de detenções arbitrárias, torturas, atos de violência sexual e desaparecimentos, além do uso excessivo da força por parte da polícia e membros da ESMAD. A polícia tem usado gás lacrimogêneo, fuzis de assalto e outras armas semiautomáticas contra os manifestantes para dispersá-los indiscriminadamente, agindo assim contra os padrões internacionais. Desde 28 de abril, dezenas de pessoas foram mortas e feridas.

A cada dia, mais pessoas são repreendidas por se manifestar na Colômbia. O presidente Iván Duque deve agora acabar com o uso excessivo da força contra os manifestantes no país.

Atue agora e exija que o presidente Iván Duque ponha fim à repressão aos participantes da Greve Nacional e investigue todas as denúncias de uso excessivo e desnecessário da força e outras violações de direitos humanos contra os manifestantes. Ao assinar essa petição, um e-mail é enviado automático para o presidente Ivan Duque e para a Procuradora Geral da Nação, Margarita Cabello Blanco.

Basta de repressão nos protestos da Colômbia!

Prezado Sr. Iván Duque

Prezada Sra. Procuradora Geral da Nação

Estou escrevendo para lhe pedir que garanta o direito do povo colombiano ao protesto pacífico. O destacamento das forças militares e policiais e da força especial denominada ESMAD para reprimir as pessoas que protestam nas ruas exigindo melhores medidas sociais e econômicas, causou pelo menos 37 mortes, 222 feridos, 934 prisões arbitrárias e 11 denúncias de violência sexual, de acordo com relatórios da sociedade civil.

Exorto-os a criar um ambiente em que o direito à reunião pacífica das pessoas seja plenamente respeitado; pelo fim da militarização das cidades e áreas rurais e pelo fim da repressão aos manifestantes, condenando e reduzindo a resposta violenta das forças da ordem contra os que saem às ruas.

Atenciosamente,

Assinaturas Atuais