Use sua força e derrube esse muro de violações de direitos

Gabriela Moscardini
Assistente de Comunicação Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    

Tags: , , ,

Já parou para pensar quantos significados tem a palavra “muro”? Para além da barreira física, o muro é também a representação simbólica da separação, do obstáculo, do “você não é bem-vindo aqui”.

Muros não são a solução. Há muito tempo já alertamos e falamos sobre esse assunto: as políticas de imigração do presidente Donald Trump estão causando danos irreparáveis para milhares de pessoas que buscam proteção nos EUA e acabam sendo detidas arbitrariamente em campos de detenção, ou recusados na fronteira. Famílias estão sendo separadas e crianças afastadas de seus familiares e presas. Tudo isso porque estão em busca de proteção e uma vida digna em um novo país.

Muitos tomam a decisão devastadora de ir embora em vez de viver com o terrível medo de ser a próxima vítima da violência. Honduras, por exemplo, tem uma das maiores taxas de homicídios da América Latina e do mundo – 800% maior que a dos Estados Unidos. Outros vão depois de serem ameaçados de morte por se recusar a pagar a extorsão para gangues, conhecidas como “maras”, que controlam o território e recursos em países como El Salvador e Honduras. A ausência de proteção do governo, pobreza e precariedade são outros fatores que levam as pessoas a abandonarem seus lares.

De acordo com a legislação internacional, qualquer pessoa que chegue em território norte-americano ou pretenda entrar nos EUA para reivindicar asilo deve ter permissão para fazê-lo e ter seu caso ouvido pelas autoridades. Mas, como dissemos, não é bem isso que está acontecendo.

Para alertar a população sobre esse assunto, levantamos um muro em pleno Largo da Carioca, no centro do Rio de Janeiro, na última quarta-feira, dia 29 de maio de 2019. A ação durou um dia inteiro, convidou o público a interagir com o muro e as histórias por trás dele. Cerca de 100 pessoas puderem “derrubar tijolos” e conhecer a realidade da fronteira.

 

Além de conscientizar, a ação teve o objetivo de mostrar que todo mundo pode ajudar a mudar essa situação e tem o poder de dar esperanças para quem precisou abandonar seu lar, sua história e, muitas vezes, a família, para tentar um novo começo com mais segurança e dignidade.

jurema-werneck-muro-trump

“Quando a vida das pessoas, sobretudo de crianças, está em risco, é necessário que as autoridades não perguntem ‘de onde você veio?’, mas assumam o dever de protegê-las. Convido vocês a ajudar a Anistia Internacional a derrubar esse muro de violações, a derrubar o muro do presidente Trump”, convoca Jurema Werneck, diretora-executiva. 

Essa ação está replicada numa versão virtual! Você ainda pode nos ajudar a derrubar esse muro. Acesse derrubeomuro.org.br e veja como participar dessa ação.

.

Saiba mais

Quer ajudar a mudar essa realidade? Nos ajude a derrubar o muro de Trump!

É hora de mudar a postura e proteger os direitos humanos na fronteira do México e EUA

EUA: Administração de Trump viola descaradamente os direitos humanos de famílias separadas

Gabriela Moscardini
Assistente de Comunicação Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    
Imprimir

Mais Posts

28 de junho de 2019 Anistia Internacional

O levantar da bandeira LGBTQI em Angola

Neste 28 de junho, ativista enumera avanços, como criminalização da discriminação, e desafios, como a inserção no mercado de trabalho, desta pauta no país

27 de junho de 2019 Anistia Internacional Tags: , ,

Direitos humanos são sobre pessoas, não sobre coisas

Confira o relato sobre aprendizados e experiências de jovens que participaram do V Encontro Nacional para Ativistas da Anistia Internacional Brasil

26 de junho de 2019 Anistia Internacional

Cinco ferramentas de tortura que precisamos banir

No Dia Internacional de Apoio às Vítimas da Tortura, listamos cinco ferramentas vendidas mundo afora e que já deveriam ter sido banidas
Ver todos os posts
Resultados

Conheça alguns dos casos de sucesso que foram trabalhados pela Anistia Internacional.

Saiba mais