Ação encerrada!

Vitória histórica para os direitos humanos na Argentina! Graças ao seu apoio e de mais de milhares de pessoas no mundo todo, o movimento feminista argentino ganhou ainda mais força e no dia 30 de dezembro de 2010, o Senado aprovou a lei que dá às mulheres e pessoas capazes de gestar o direito à interrupção voluntária da gravidez.

590 Ações

Criminalizar o aborto não impede que abortos aconteçam. Pelo contrário, torna tudo mais arriscado, forçando as mulheres a realizá-los sem segurança ou proteção. Chegou a vez da Argentina descriminalizar o aborto e você pode ajudar a fazer isso acontecer.

Na Argentina, assim como em muitos outros países, o aborto é criminalizado, exceto em circunstâncias muito limitadas. Pessoas que engravidam e não podem ou não querem continuar com a gravidez são, muitas vezes, forçadas a tomar uma decisão impossível: colocar suas vidas em risco ou ir para a cadeia. Como resultado dessa política, a cada ano, meio milhão de pessoas grávidas arriscam suas vidas em abortos sem a devida atenção médica profissional e, desde 1983, mais de 3 mil pessoas morreram em abortos inseguros.

Na província de Tucumán, uma menina de 11 anos foi impedida de fazer um aborto depois de ter sido estuprada pelo parceiro de sua avó. Quando essa sobrevivente de estupro entrou no hospital pedindo por um aborto legal, as autoridades médicas, que deveriam proteger sua vida e sua saúde colocaram um obstáculo após o outro, com o único propósito de negar seus direitos e forçá-la a recorrer a uma cesariana de emergência que poderia ter sido evitada. Esta é uma cruel injustiça pelos danos físicos e psicológicos que sofreu. Este caso trágico é mais uma prova de que a legislação argentina sobre o aborto precisa mudar.

Assine a petição e fique ao lado das pessoas na Argentina que exigem o acesso ao aborto legal e seguro na Argentina!

Quem assinou