Prisões são o primeiro sinal de avanço na investigação do assassinato de Marielle Franco

Imprimir
12 de março de 2019 Defensores de direitos humanos

Em resposta as informações de que a polícia brasileira prendeu dois homens no Rio de Janeiro pelo assassinato da defensora de direitos humanos Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes em 14 de março de 2018, Érika Guevara Rosas, diretora para as América da Anistia Internacional, disse:

.

“Essa semana completa um ano desde que Marielle Franco foi brutalmente assassinada em um ataque devastador para muitas comunidades cujos direitos ela lutou para proteger. O assassinato de Marielle foi uma ação flagrante com intuito de silenciar uma valente defensoras dos direitos humanos, que dedicou sua vida a defender as mulheres, pessoas LGBTI e jovens negros no Rio de Janeiro.

“Estas prisões são o primeiro sinal de progresso de uma investigação que apenas avançou após quase um ano dos assassinatos. Fazemos um pedido as autoridades brasileiras para garantir que as investigações sejam independentes e imparciais e que levem todos os responsáveis, inclusive os mandantes, a um julgamento justo”.

“Não há melhor maneira de honrar o incrível legado de Marielle Franco do que comprometer-se a proteger defensores de direitos humanos e garantir que possam exercer em segurança suas atividades“.

.

>>>Torne-se um Defensor da Liberdade. Doe para a Anistia Internacional

Leia também:

Após um ano de impunidade, autoridades devem levar à justiça os assassinos de Marielle Franco

Nota pública: prisões de pessoas suspeitas de terem participado do assassinato de Marielle Franco

Entre em ação

Wilson Witzel: quem matou e quem mandou matar Marielle Franco?

 

 

12 de março de 2019 Defensores de direitos humanos

Mais Notícias

7 de julho de 2020 | Política internacional Conflitos

Enquanto a COVID-19 pega fogo, guerras continuam afetando civis

A resposta a uma pandemia exige um ato de construção, criando uma sociedade resiliente na qual cuidamos uns dos outros. Temos um inimigo desumano comum.

2 de julho de 2020 | Defensores de direitos humanos Mulheres Discriminação

A vulnerabilidade das trabalhadoras domésticas durante a pandemia

Entre o risco de perder a renda e o perigo de se expor ao coronavírus a vida das trabalhadoras domésticas se transforma numa angústia permanente.

25 de junho de 2020 | Liberdade de expressão

Projeto de lei sobre desinformação ameaça a liberdade de expressão e a privacidade online

Movimentos e organizações solicitam aos legisladores brasileiros que rejeitem imediatamente a última versão do texto, adiem a votação da chamada “Lei das Fake News” (PL 2630/2020)
Carregar mais notícias