Nota: Inquérito comprova interferências nas investigações das mortes de Marielle Franco e Anderson Gomes

Imprimir
23 de maio de 2019 Defensores de direitos humanos Indivíduos em risco
Marielle Franco. Foto: Mídia Ninja

Sobre a conclusão do Inquérito da Polícia Federal, divulgado hoje, 23 de maio, que comprova a interferência de um policial militar e sua advogada na investigação do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, a diretora executiva da Anistia Internacional, Jurema Werneck, afirma:

“É lamentável que agentes públicos e privados tenham interferido diretamente no andamento das investigações dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes. Foi apontado pela investigação da Polícia Federal o claro interesse por parte dos envolvidos no não esclarecimento destes assassinatos, que mobilizaram e vão seguir mobilizando a sociedade civil em todo o mundo”.

Ela segue:

“Como apontamos em diversas ocasiões, ainda existem várias perguntas sem resposta sobre as mortes de Marielle e Anderson, as quais apontamos no levantamento divulgado no marco de oito meses de seus assassinatos e que chamamos de Labirinto. Uma delas, agora, foi respondida: a de que havia claro interesse em que este crime brutal permanecesse sem solução. Continuaremos exigindo justiça e reparação para as famílias de Marielle Franco e Anderson Gomes, e não vamos descansar até que todas as pessoas possam saber: Quem mandou matar Marielle? E por quê?”.

.

Saiba mais

23 de maio de 2019 Defensores de direitos humanos Indivíduos em risco

Mais Notícias

12 de setembro de 2019 | Defensores de direitos humanos Mulheres LGBTI Indivíduos em risco Terra Indígenas e populações tradicionais

Projeto Banana-Terra lança manual para jovens que querem mudar o mundo

Material tem exercícios sobre criação e implementação de projetos, segurança, comunicação e monitoramento de impacto

12 de setembro de 2019 | Memória, Verdade e Justiça Defensores de direitos humanos Mulheres LGBTI

18 meses sem Marielle: Anistia e familiares renovam cobrança por resposta às autoridades

Ofícios foram enviados ao governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e ao procurador-geral de justiça do Estado, Dr. José Eduardo Gussen, após seis meses de reunião em que se comprometeram com caso

3 de setembro de 2019 | Defensores de direitos humanos

30 conquistas dos direitos humanos em 2019 que merecem comemoração

Graças a uma combinação de campanhas e pessoas poderosas, 2019 tem sido um ano de muitas conquistas para os direitos humanos!
Carregar mais notícias