Marielle Franco: Anistia Internacional faz nota pública sobre as cinco submetralhadoras HK MP-5 extraviadas em 2011

Imprimir
18 de maio de 2018 Segurança pública Defensores de direitos humanos
nota publica ai

Segundo reportagem veiculada ontem, 17 de maio, as polícias do Rio de Janeiro teriam 71 submetralhadoras HK MP-5, modelo que teria sido utilizado para matar Marielle Franco e Anderson Gomes. Das 60 pertencentes à Policia Civil, cinco delas teriam sido extraviadas em 2011. As outras 11 submetralhadoras do mesmo tipo pertenceriam ao Batalhão de Operações Especiais (Bope) e nenhuma delas teria sido extraviada ou roubada. A reportagem da TV Globo diz ainda que a Polícia Civil teria sido procurada mas optou por não comentar.

.

Estamos há quase 65 dias da morte da defensora de direitos humanos e vereadora Marielle Franco. Durante esse período, diversas informações sobre o caso foram veículadas pela mídia, inclusive de que a munição utilizada pertencia a lote vendido à Polícia Federal em Brasília e havia sido roubada na sede dos Correios, sem que houvesse nenhuma explicação ou pronunciamento oficial pelas autoridades. O sigilo do caso tem como objetivo garantir a eficácia das diligências investigatórias. No entanto, a informação de que armas do mesmo modelo da que teria sido usada na execução de Marielle Franco teriam sido desviadas do arsenal da Polícia Civil pode comprometer a competência e independência da Polícia Civil de investigar o caso. 

.

A Anistia Internacional urge que a Polícia Civil e a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro a se pronunciem sobre a imparcialidade das investigações.

.

Saiba mais

Assine a AÇÃO URGENTE e exija justiça para Marielle Franco

Quem matou Marielle: organização renova pressão sobre as autoridades responsáveis para que o caso seja solucionado

Brasil: Autoridades devem dar uma resposta sobre quem matou Marielle Franco

18 de maio de 2018 Segurança pública Defensores de direitos humanos

Mais Notícias

14 de novembro de 2018 | Defensores de direitos humanos

Após oito meses, investigação sobre o assassinato de Marielle Franco parece um labirinto de caminhos inexplorados

Organização denuncia a falta de respostas razoáveis por parte das autoridades públicas frente à gravidade do caso e das informações já divulgadas relacionadas ao assassinato

13 de novembro de 2018 | Política internacional Defensores de direitos humanos

Aung San Suu Kyi perde a mais alta premiação da Anistia Internacional

Aung San Suu Kyi foi nomeada Embaixadora de Consciência da Anistia Internacional em 2009, em reconhecimento à sua luta pacífica e não violenta pela democracia e pelos direitos humanos.

12 de novembro de 2018 | Defensores de direitos humanos Mulheres

Teodora Vásquez, de El Salvador, ganha prêmio internacional em direitos humanos

"O que me motiva é libertar outras mulheres presas. O Per Anger Prize é um símbolo da luta pelos direitos das mulheres", disse Teodora
Carregar mais notícias