Kumi Naidoo comenta discurso de Bolsonaro em Davos: “a comunidade internacional deve estar atenta”

Imprimir
22 de janeiro de 2019 Política internacional
kumi-naidoo

Declaração de Kumi Naidoo, Secretário Geral da Anistia Internacional, em reação ao discurso do presidente Jair Bolsonaro em Davos, na terça-feira 22 de janeiro de 2019:

.

Como afirmou hoje em Davos o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, de fato precisamos uns dos outros e o Brasil certamente precisa do apoio do mundo neste momento. Isso porque o povo brasileiro provavelmente enfrentará um futuro com mais repressão e menos direitos caso o presidente Bolsonaro consiga implementar a sua agenda anti-direitos humanos sem ser desafiado.

A comunidade internacional deve estar atenta a como o governo do presidente Bolsonaro trata as pessoas mais marginalizados e vulneráveis no Brasil para saber se é verdade o que ele diz sobre entregar paz e prosperidade para a nação.

Como já vimos, o compromisso proferido pelo presidente com o multilateralismo é contraditório com a sua determinação para a retirada do Brasil do Pacto Global para Migração da ONU e a ameaça de retirar o país do Acordo de Paris.

A promessa do presidente Bolsonaro às elites globais de priorizar garantir sua segurança ao visitar o país é especialmente irônica: um dos primeiros passos que ele deu foi afrouxar o controle de armas, embora o Brasil tenha uma das taxas mais altas de violência armada do mundo.

Se Bolsonaro quer que o mundo acredite em seu compromisso em tornar o Brasil um lugar seguro e acolhedor, ele pode começar garantindo que os assassinos de Marielle Franco sejam levados à justiça.

.

Saiba mais

Kumi Naidoo: Se não lutarmos por tudo, não teremos nada

Brasil: discurso anti-direitos não pode se tornar política governamental

22 de janeiro de 2019 Política internacional

Mais Notícias

13 de fevereiro de 2019 | Segurança pública Defensores de direitos humanos Mulheres LGBTI

Onze meses após assassinato de Marielle Franco, há mais dúvidas que certezas e muitas perguntas ainda sem resposta

Anistia Internacional afirma que as investigações devem chegar à verdade e identificar corretamente todos os envolvidos no assassinato de Marielle Franco

6 de fevereiro de 2019 | Política internacional Conflitos

Iêmen: Emirados Árabes munem milícias com armas ocidentais

A Anistia Internacional apela a todos os Estados para que deixem de fornecer armas a todas as partes no conflito no Iêmen

5 de fevereiro de 2019 | Desenvolvimento Política internacional Legislação

Catar: Autoridades devem intensificar esforços para honrar promessas de direitos trabalhistas antes da Copa do Mundo de 2022

Faltando menos de quatro anos para a Copa do Mundo de 2022, autoridades do Catar correm o risco de não cumprir a promessa de combater a exploração de milhares de trabalhadores migrantes
Carregar mais notícias