Honduras: falta de justiça no caso de Berta Cáceres envia alerta a ativistas

Imprimir
3 de março de 2017 Defensores de direitos humanos Indivíduos em risco
Berta Cáceres

A falta de uma investigação eficaz para encontrar os responsáveis por ordenar o brutal assassinato da ativista ambiental hondurenha Berta Cáceres envia uma mensagem aterrorizante às centenas de pessoas que se atrevem a falar contra os poderosos, disse a Anistia Internacional, no primeiro aniversário de morte da ativista (02/03).

O trágico assassinato de Berta ilustra o trágico estado dos direitos humanos em Honduras. A mensagem é clara: se o seu trabalho de direitos humanos perturba os que têm poder, você será morto“, afirmou Erika Guevara-Rosas, diretora de Américas da Anistia Internacional.

Berta Cáceres, líder e co-fundadora do Conselho de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (COPINH), foi morta a tiros em 2 de março de 2016 em sua casa na cidade de La Esperanza, na província de Intibucá, oeste de Honduras. Durante anos, ela fez campanha contra a construção da barragem de Água Zarca por causa da ameaça que representava para o povo indígena Lenca.

A investigação pífia sobre o assassinato de Berta, que até agora não identificou os mandantes de seu assassinato, e a falta de um mecanismo eficaz para proteger as testemunhas e outros defensores de direitos humanos mostram o desinteresse das autoridades hondurenhas em garantir a justiça”, defendeu Erika.

Desde seu brutal assassinato, vários ativistas ambientais e de direitos humanos hondurenhos, incluindo outros da COPINH, foram assediados e ameaçados.

“Cada dia que passa sem justiça coloca os ativistas ambientalistas hondurenhos um passo mais perto de um fim trágico. Falhar em protegê-los é não proteger os recursos naturais de que todos dependem para sobreviver “, destacou a diretora.

Uma delegação da Anistia Internacional viajou a Honduras antes do primeiro aniversário do assassinato de Berta Cáceres para entregar mais de 80 mil ações tomadas por pessoas de todo o mundo.

Leia mais:
Única testemunha do assassinato de Berta Cáceres: “Era claro que ia morrer
Seis meses após o assassinato de Berta Cáceres, Honduras ainda é uma armadilha mortal para ativistas ambientais

3 de março de 2017 Defensores de direitos humanos Indivíduos em risco

Mais Notícias

16 de novembro de 2017 | Desenvolvimento

Gigantes da tecnologia não conseguem refutar alegações de trabalho infantil em cadeia de fornecimento de cobalto

Investigação revela enormes “pontos cegos” nas cadeias de fornecedores de cobalto na República Democrática do Congo

16 de novembro de 2017 | LGBTI

Austrália vota sim em plebiscito sobre casamento igualitário

Primeiro Ministro tem 23 dias para garantir direito ao casamento homoafetivo no país.

9 de novembro de 2017 | Segurança pública

Campanha Jovem Negro Vivo comemora três anos de mobilização, resistência e luta

Dezenas de coletivos e grupos foram mobilizados em treze cidades do país na luta contra a violência e por juventudes potentes e engajadas em todo Brasil.
Carregar mais notícias
Junte-se à Anistia

Faça parte desse movimento global.

Faça parte