É hora de mudar a postura e proteger os direitos humanos na fronteira do México e EUA

Imprimir
8 de janeiro de 2019 Política internacional Migrantes
caravana migrantes eua

Antecipando o discurso do presidente Trump sobre as políticas de seu governo para os requerentes de asilo e migrantes na fronteira, Margaret Huang, diretora executiva da Anistia Internacional Estados Unidos, declarou:

“Os esforços insistentes do presidente para desumanizar requerentes de asilo na fronteira não podem ser permitidos por qualquer apoio federal. O muro proposto nada mais é do que um símbolo divisor de medo e não deve ser financiada de forma alguma.

“A administração Trump fez o possível para tornar a situação na fronteira insuportável. Desde forçar as pessoas a permanecer em um país inseguro, atrasar deliberadamente o processo, prender crianças por meses a fio, até separar completamente famílias solicitantes de asilo, os EUA só aumentaram a miséria para as pessoas que buscam proteção.

“Isso é uma crise do próprio governo. É hora de mudar essa postura e voltar ao trabalho para criar políticas que tratem as famílias com dignidade, justiça e respeito ”.

.

8 de janeiro de 2019 Política internacional Migrantes

Mais Notícias

23 de agosto de 2019 | Terra Indígenas e populações tradicionais

Falhas do governo estão alimentando queimadas na Amazônia, diz Anistia Internacional

Situação coloca em risco direitos das pessoas a ambiente saudável e à saúde, além de ameaçar os territórios de populações indígenas.

7 de agosto de 2019 | Defensores de direitos humanos Indígenas e populações tradicionais

Anistia Internacional lança site que alerta sobre focos de tensão na Amazônia

Conteúdo divulgado é fruto de pesquisa realizada em abril de 2019. Foram entrevistados 23 indígenas, além de 13 pessoas com conhecimento sobre invasões de terras

29 de julho de 2019 | Memória, Verdade e Justiça

Nota sobre declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre desaparecido pelo Regime Militar

O direito à memória, justiça, verdade e reparação das vitimas, sobreviventes e suas famílias deve ser defendido e promovido pelo Estado Brasileiro e seus representantes
Carregar mais notícias