China: Liu Xia está livre e à caminho da Alemanha!

Imprimir
10 de julho de 2018 Política internacional Defensores de direitos humanos Liberdade de expressão Mulheres
liuxia

A artista e intelectual chinesa, Liu Xia, viúva do vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 2010, Liu Xiaobo, deixou a China e viajou para a Alemanha. Há oito anos ela estava em prisão domiciliar em Pequim. Após visitar o marido na prisão e comunicá-lo sobre o Nobel, em outubro de 2010, começou a ser perseguida pelas autoridades chinesas e acabou presa. Patrick Poon, pesquisador da China na Anistia Internacional, comentou:

.

“É uma notícia maravilhosa: Liu Xia finalmente está livre e a perseguição que sofria e a detenção ilegal ao qual foi submetida pelas autoridades chinesas chegou ao fim, quase um ano após a morte prematura e indigna de Liu Xiaobo.

“Liu Xia nunca desistiu de lutar por seu falecido marido e por isso foi cruelmente punida. As autoridades chinesas tentaram silenciá-la, mas ela é uma corajosa defensora de direitos humanos e não se calou. No entanto, após oito anos sob prisão domiciliar ilegal, sua saúde era motivo de preocupação”.

“Agora, a perseguição sobre a família de Liu Xia, que permanece na China, também deve ter fim. Será doloroso caso as autoridades chinesas usem os parentes de Liu Xia para pressioná-la e impedir que ela fale futuramente sobre o assunto”.

.

Contexto

Liu Xia teve sua prisão domiciliar decretada após visitar seu marido, Liu Xiaobo, que estava preso em 8 de outubro de 2010. A visita aconteceu para comunicá-lo sobre a premiação do Nobel da Paz. Xiaobo havia sido condenado à prisão em 2009 por “incitar à subversão contra o poder do Estado” e faleceu em 2017, em decorrência de um câncer. Liu Xia esteve presa desde então, era monitorada de perto pelos agentes de segurança do estado e só podia ser contatada por seus amigos mais próximos por telefone em circunstâncias limitadas.

.

Em abril, durante uma conversa telefônica com sua amiga Liao Yiwu, uma escritora exilada, Liu Xia disse que estava “preparada para morrer” na prisão domiciliar. A gravação angustiante desta conversa foi divulgada no dia 2 de maio de 2018. A Anistia Internacional e diversas outras organizações e movimentos de direitos humanos se mobilizaram pela liberdade Liu Xia.

10 de julho de 2018 Política internacional Defensores de direitos humanos Liberdade de expressão Mulheres

Mais Notícias

16 de janeiro de 2019 | Direitos sexuais e reprodutivos Política internacional LGBTI

Rússia: Autoridades da Chechênia retomam repressão homofóbica

A Rede LGBT da Rússia recebeu relatos sobre novos sequestros de pessoas gays e lésbicas na Chechênia

15 de janeiro de 2019 | ___

Vaga: Coordenação de Campanhas e Comunicação na Anistia Internacional

A Anistia Internacional está procurando uma pessoa para se juntar a nossa equipe de Campanhas e Comunicação

14 de janeiro de 2019 | Defensores de direitos humanos

Autoridades estaduais recém empossadas no Rio de Janeiro devem assumir publicamente compromisso com caso Marielle Franco

O ano de 2018 terminou sem que o estado do Rio de Janeiro, sob intervenção federal na área de segurança pública, tenha conseguido solucionar o caso de Marielle Franco.
Carregar mais notícias