Autoridades devem atuar prontamente em resgate e apoio às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho

Imprimir
25 de janeiro de 2019 Desenvolvimento
Rompimento de barragem em Brumadinho, Minhas Gerais. (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

As autoridades estaduais e federais devem atuar prontamente e colocar todos os recursos disponíveis para garantir o resgate das cerca de 200 pessoas desaparecidas após o rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, e garantir acesso imediato a moradia, água potável, alimentação, assistência de saúde e todos os meios de subsistência necessários a todas as pessoas que foram de alguma forma impactadas.

As autoridades devem também garantir uma investigação imediata, imparcial, independente e detalhada dos fatores que levaram ao rompimento da barragem em Brumadinho e as possíveis responsabilidades de pessoas, empresas, instituições que possam ter resultado neste rompimento. Tanto a barragem em Brumadinho quanto a barragem que se rompeu em Mariana em 2015 são empreendimentos que têm participação de uma mesma grande empresa mineradora.

O rompimento da barragem em Mariana teve enorme impacto sobre os direitos humanos dos habitantes das cidades afetadas. As investigações sobre o episódio do rompimento da barragem em Brumadinho devem se debruçar sobre as responsabilidades das empresas envolvidas e instituições do estado. É grave que um episódio devastador como este se repita sem que o Estado tenha conseguido garantir a proteção da saúde, do meio ambiente e da vida das pessoas.

25 de janeiro de 2019 Desenvolvimento

Mais Notícias

12 de abril de 2019 | Pena de morte

Pena de morte em 2018: fatos e números

A maioria das execuções ocorreu, em ordem, na China, Irã, Arábia Saudita, Vietnã e Iraque.

11 de abril de 2019 | Defensores de direitos humanos Mulheres LGBTI

Um mês após prisão de suspeitos, investigação sobre assassinato de Marielle Franco deve continuar até a identificar todos envolvidos no crime

Movimento global abre nova petição após recolher quase 800 mil assinaturas em 46 países. O novo objetivo é pressionar para que investigação continue até identificar todos os envolvidos no assassinato,

10 de abril de 2019 | Pena de morte

Pena de morte: 2018 teve queda drástica de execuções no mundo

Execuções globais caíram 31%, atingindo o menor nível na última década.
Carregar mais notícias