Autoridades devem atuar prontamente em resgate e apoio às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho

Imprimir
25 de janeiro de 2019 Desenvolvimento
Rompimento de barragem em Brumadinho, Minhas Gerais. (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

As autoridades estaduais e federais devem atuar prontamente e colocar todos os recursos disponíveis para garantir o resgate das cerca de 200 pessoas desaparecidas após o rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, e garantir acesso imediato a moradia, água potável, alimentação, assistência de saúde e todos os meios de subsistência necessários a todas as pessoas que foram de alguma forma impactadas.

As autoridades devem também garantir uma investigação imediata, imparcial, independente e detalhada dos fatores que levaram ao rompimento da barragem em Brumadinho e as possíveis responsabilidades de pessoas, empresas, instituições que possam ter resultado neste rompimento. Tanto a barragem em Brumadinho quanto a barragem que se rompeu em Mariana em 2015 são empreendimentos que têm participação de uma mesma grande empresa mineradora.

O rompimento da barragem em Mariana teve enorme impacto sobre os direitos humanos dos habitantes das cidades afetadas. As investigações sobre o episódio do rompimento da barragem em Brumadinho devem se debruçar sobre as responsabilidades das empresas envolvidas e instituições do estado. É grave que um episódio devastador como este se repita sem que o Estado tenha conseguido garantir a proteção da saúde, do meio ambiente e da vida das pessoas.

25 de janeiro de 2019 Desenvolvimento

Mais Notícias

13 de fevereiro de 2019 | Segurança pública Defensores de direitos humanos Mulheres LGBTI

Onze meses após assassinato de Marielle Franco, há mais dúvidas que certezas e muitas perguntas ainda sem resposta

Anistia Internacional afirma que as investigações devem chegar à verdade e identificar corretamente todos os envolvidos no assassinato de Marielle Franco

6 de fevereiro de 2019 | Política internacional Conflitos

Iêmen: Emirados Árabes munem milícias com armas ocidentais

A Anistia Internacional apela a todos os Estados para que deixem de fornecer armas a todas as partes no conflito no Iêmen

5 de fevereiro de 2019 | Desenvolvimento Política internacional Legislação

Catar: Autoridades devem intensificar esforços para honrar promessas de direitos trabalhistas antes da Copa do Mundo de 2022

Faltando menos de quatro anos para a Copa do Mundo de 2022, autoridades do Catar correm o risco de não cumprir a promessa de combater a exploração de milhares de trabalhadores migrantes
Carregar mais notícias