Anistia Internacional saúda retirada de todas as acusações contra Rafael Marques de Morais em Angola

Imprimir
21 de maio de 2015 Liberdade de expressão

A Anistia Internacional saúda como uma vitória para a liberdade de expressão o desfecho do caso judicial contra Rafael Marques de Morais que aconteceu hoje (21), com a retirada de todas as acusações contra o jornalista e defensor de direitos humanos angolano, em um tribunal de Luanda. Destaca positivamente também outra conclusão da sessão, de reafirmação da monitorização da situação de direitos humanos em Angola,que será feita em colaboração com todas as entidades envolvidas neste processo judicial.

A Anistia Internacional apela ao governo angolano que pare de fazer dele um alvo por exercer seu trabalho jornalístico.

“A retirada das acusações contra Rafael Marques é uma demonstração explícita de que não houve nenhum caso contra ele, como vínhamos dizendo desde o início. Como jornalista, seu único crime era documentar violações dos direitos humanos no país, acreditamos que ele sempre foi inocente”, disse Deprose Muchena, diretor da Anistia Internacional para a região da África.

Rafael Marques estava enfrentando 24 acusações de difamação pela publicação do livro “Diamantes de Sangue, Corrupção e Tortura em Angola”, em Portugal em 2011, com destaque para a corrupção e violações dos direitos humanos alegadamente cometidos pelos generais do exército angolano e empresas que atuam em comunidades de diamantes do país.

A Anistia Internacional sempre defendeu que acusações contra ele eram uma paródia da liberdade de expressão e que tinham de ser retiradas incondicionalmente. No Brasil, somamos forças à Anistia Portugal, que manteve uma campanha ativa desde o início do processo judicial contra Rafael Marques de Morais, e assim mais de 10 mil pessoas entraram em ação pelliberdade de Rafael Marques.

Saiba mais

Angola: Julgamento de jornalista ridiculariza o direito à liberdade de expressão

21 de maio de 2015 Liberdade de expressão

Mais Notícias

24 de setembro de 2020 | Liberdade de expressão Terra Indígenas e populações tradicionais

Ataques à APIB devem unir sociedade e instituições em defesa dos povos indígenas, aponta Anistia Internacional

Anistia Internacional repudia ataques à Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e aos povos indígenas por parte do governo federal e chama sociedade e instituições em defesa deles.

24 de setembro de 2020 | Segurança pública Desenvolvimento Defensores de direitos humanos Mulheres LGBTI Indivíduos em risco Legislação Moradia Indígenas e populações tradicionais

Anistia Internacional promove audiência online: Desafios da Covid-19 e os impactos nos Direitos Humanos

A Audiência Online visa exigir medidas inclusivas e urgentes para as populações vulneráveis após seis meses de Covid-19. Com presenças de organizações da campanha #NossasVidasImportam e autoridades.

21 de setembro de 2020 | Memória, Verdade e Justiça Segurança pública Violência policial

Caso Ágatha Félix: Anistia Internacional exige política de segurança pública baseada em inteligência e treinamento 

1 ano após a morte da menina Ágatha, de 8 anos, a Anistia Internacional exige a adoção de uma segurança pública baseada na inteligência e treinamento, pautada na proteção e preservação das vidas.
Carregar mais notícias