Nota pública: Anistia Internacional condena violência letal contra jovens no Brasil

Imprimir
14 de outubro de 2014 Segurança pública Violência policial
Vela com fundo preto - BLOG

Diante da morte de cinco adolescentes na noite de ontem (13/10), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a Anistia Internacional manifesta seu repúdio à violência indiscriminada que atinge os jovens brasileiros, em especial moradores de favelas e bairros de periferia.

O grupo foi atingido a tiros dados por homens encapuzados dentro de um carro. As vítimas tinham entre 12 e 18 anos. Três morreram no local, dois no hospital e apenas o de 12 anos sobreviveu e está internado. Esta é uma tragédia que se repete, assim como é recorrente o silêncio das autoridades locais e nacionais sobre essas mortes.

O Brasil está entre os países com o maior número de homicídios do mundo. Foram 56.000 em 2012, sendo 30.000 mortes de jovens com idade entre 15 e 29 anos. O homicídio foi também a principal causa da morte entre adolescentes com idade entre 12 e 18 anos (45,2%), em cidades com mais de cem mil habitantes.

São milhares de jovens assassinados que tiveram suas histórias de vida interrompidas e famílias, vizinhos e amigos que convivem com a dor de suas perdas.

Está na hora do país se indignar com as mortes de seus jovens e romper com a indiferença e a impunidade que permeiam esses crimes, especialmente quando ocorrem em favelas e periferias. A Anistia Internacional pede a investigação rápida e independente dos homicídios ocorridos na Baixada Fluminense e a implementação imediata de políticas públicas que possam reverter esta triste realidade brasileira.

 

Dados:

Mapa da Violência 2014: Os jovens do Brasil

Homicídios na Adolescência no Brasil: IHA 2009-2010 (SDH/Obervatório de Favelas/UNICEF)

14 de outubro de 2014 Segurança pública Violência policial

Mais Notícias

25 de janeiro de 2020

O rompimento da barragem de Brumadinho (MG) completa um ano de violações de direitos humanos.

Há um ano atrás, a cidade de Brumadinho (MG) foi marcada por um desastre que matou 270 pessoas (11 ainda estão desaparecidas).

26 de novembro de 2019 | Segurança pública Defensores de direitos humanos Indivíduos em risco

Anistia Interacional recebe com preocupação notícia de prisão de brigadistas em Alter do Chão (PA)

Prisões acontecem no mesmo dia em que organização lança relatório que mostra a relação entre as queimadas na floresta e a pecuária

26 de novembro de 2019 | Defensores de direitos humanos Conflitos Terra Indígenas e populações tradicionais

Bolsonaro se nega a receber a Anistia Internacional e lideranças indígenas que exigem a proteção da Amazônia e dos povos tradicionais

Ato em protesto foi realizado na frente do Palácio do Planalto e contou com o lançamento de um relatório inédito sobre desmatamento da Amazônia e pecuária ilegal
Carregar mais notícias