Nota pública: Anistia Internacional condena violência letal contra jovens no Brasil

Imprimir
14 de outubro de 2014 Segurança pública Violência policial

Diante da morte de cinco adolescentes na noite de ontem (13/10), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a Anistia Internacional manifesta seu repúdio à violência indiscriminada que atinge os jovens brasileiros, em especial moradores de favelas e bairros de periferia.

O grupo foi atingido a tiros dados por homens encapuzados dentro de um carro. As vítimas tinham entre 12 e 18 anos. Três morreram no local, dois no hospital e apenas o de 12 anos sobreviveu e está internado. Esta é uma tragédia que se repete, assim como é recorrente o silêncio das autoridades locais e nacionais sobre essas mortes.

O Brasil está entre os países com o maior número de homicídios do mundo. Foram 56.000 em 2012, sendo 30.000 mortes de jovens com idade entre 15 e 29 anos. O homicídio foi também a principal causa da morte entre adolescentes com idade entre 12 e 18 anos (45,2%), em cidades com mais de cem mil habitantes.

São milhares de jovens assassinados que tiveram suas histórias de vida interrompidas e famílias, vizinhos e amigos que convivem com a dor de suas perdas.

Está na hora do país se indignar com as mortes de seus jovens e romper com a indiferença e a impunidade que permeiam esses crimes, especialmente quando ocorrem em favelas e periferias. A Anistia Internacional pede a investigação rápida e independente dos homicídios ocorridos na Baixada Fluminense e a implementação imediata de políticas públicas que possam reverter esta triste realidade brasileira.

 

Dados:

Mapa da Violência 2014: Os jovens do Brasil

Homicídios na Adolescência no Brasil: IHA 2009-2010 (SDH/Obervatório de Favelas/UNICEF)

14 de outubro de 2014 Segurança pública Violência policial

Mais Notícias

22 de maio de 2020 | Segurança pública Defensores de direitos humanos

NOTA: “Armas não salvam vidas e não são as respostas para necessidades urgentes neste momento de pandemia”, afirma Anistia Internacional

A Anistia Internacional repudia a ameaça de armar a população, proferida pelo Presidente da República Jair Bolsonaro durante reunião ministerial de 22 de abril de 2020.

19 de maio de 2020 | Segurança pública Violência policial

NOTA: Operações policiais durante pandemia da COVID-19

No meio de uma pandemia, quando os esforços deveriam estar voltados para garantir saúde e vida, o Estado do Rio se faz presente nas favelas levando violência e morte.

19 de maio de 2020 | Discriminação

Américas: direitos de profissionais de saúde na linha de frente da pandemia de COVID-19 ameaçados

O relatório instiga os países da região a priorizar e proteger os direitos dos profissionais de saúde durante e depois da pandemia.
Carregar mais notícias