Jurema Werneck é a nova diretora executiva da Anistia Internacional Brasil

Imprimir
20 de dezembro de 2016 ___
JUREMA WERNECK

A Anistia Internacional no Brasil estará sob nova direção a partir de fevereiro de 2017. Jurema Werneck assumirá o cargo de diretora executiva da organização, que abriu seu escritório no país em 2012.

Jurema Werneck tem formação em medicina e comunicação e foi fundadora da ONG Criola, uma organização de mulheres negras no Rio de Janeiro. Com mais de vinte anos de experiência, ela vem trabalhando junto a organizações, movimentos sociais e ativistas do campo dos direitos humanos, principalmente em temas relacionados a raça, gênero e orientação sexual, desenvolvendo iniciativas de educação, mobilização, campanhas e comunicação.

A nova diretora executiva será responsável pelo avanço da missão da Anistia Internacional no Brasil e pela ampliação da sua atuação em todo o país, a fim de fortalecer o trabalho e o impacto em direitos humanos. Jurema Werneck também será responsável por gerenciar as atividades diárias da organização, atuando como principal porta-voz e ampliando a base de apoio da organização no Brasil, mobilizando ativistas e apoiadores para se juntarem à Anistia Internacional.

O trabalho da Anistia International no Brasil é uma referência na área da segurança pública e sistema de justiça; defensores de direitos humanos e modelo de desenvolvimento; e solidariedade internacional em torno das violações de direitos em todo o mundo. Nos últimos cinco anos, as ações promoveram uma maior visibilidade ao tema de homicídio de jovens negros na agenda pública nacional, o reconhecimento da organização como voz independente para os direitos humanos, a mobilização da comunidade global contra violações no Brasil e a construção de uma forte rede de ativistas e doadores comprometidos em apoiar os direitos humanos no país.

Os planos da Anistia Internacional para o Brasil em 2017 incluem novas ações no campo da segurança pública e direitos humanos com a campanha Jovem Negro Vivo, a campanha global sobre os direitos das pessoas refugiadas e o lançamento de uma nova campanha para a proteção dos defensores e defensoras de direitos humanos, especialmente aqueles envolvidos em conflitos por terra, território e recursos naturais.

Fundada em 1961, a Anistia Internacional trabalha para acabar com as violações de direitos humanos e promover a justiça e a dignidade em todo o mundo. É um movimento global de mais de 7 milhões de pessoas em 150 países.

……

Saiba mais: 

Transição de liderança na Anistia Internacional Brasil - Atila Roque

20 de dezembro de 2016 ___

Mais Notícias

27 de fevereiro de 2020 | Direitos sexuais e reprodutivos Política internacional Defensores de direitos humanos Liberdade de expressão Mulheres LGBTI Conflitos Discriminação Terra Indígenas e populações tradicionais Remoções forçadas Violência policial Migrantes

Da retórica à prática: 2019 foi um ano marcado por retrocessos para os direitos humanos no Brasil, mostra relatório

Documento traz também análise sobre a situação na região das Américas e aponta preocupações com direito ao protesto e direitos de migrantes, refugiados e candidatos a asilo

25 de janeiro de 2020

O rompimento da barragem de Brumadinho (MG) completa um ano de violações de direitos humanos.

Há um ano atrás, a cidade de Brumadinho (MG) foi marcada por um desastre que matou 270 pessoas (11 ainda estão desaparecidas).

26 de novembro de 2019 | Segurança pública Defensores de direitos humanos Indivíduos em risco

Anistia Interacional recebe com preocupação notícia de prisão de brigadistas em Alter do Chão (PA)

Prisões acontecem no mesmo dia em que organização lança relatório que mostra a relação entre as queimadas na floresta e a pecuária
Carregar mais notícias