Jurema Werneck é a nova diretora executiva da Anistia Internacional Brasil

Imprimir
20 de dezembro de 2016 ___
JUREMA WERNECK

A Anistia Internacional no Brasil estará sob nova direção a partir de fevereiro de 2017. Jurema Werneck assumirá o cargo de diretora executiva da organização, que abriu seu escritório no país em 2012.

Jurema Werneck tem formação em medicina e comunicação e foi fundadora da ONG Criola, uma organização de mulheres negras no Rio de Janeiro. Com mais de vinte anos de experiência, ela vem trabalhando junto a organizações, movimentos sociais e ativistas do campo dos direitos humanos, principalmente em temas relacionados a raça, gênero e orientação sexual, desenvolvendo iniciativas de educação, mobilização, campanhas e comunicação.

A nova diretora executiva será responsável pelo avanço da missão da Anistia Internacional no Brasil e pela ampliação da sua atuação em todo o país, a fim de fortalecer o trabalho e o impacto em direitos humanos. Jurema Werneck também será responsável por gerenciar as atividades diárias da organização, atuando como principal porta-voz e ampliando a base de apoio da organização no Brasil, mobilizando ativistas e apoiadores para se juntarem à Anistia Internacional.

O trabalho da Anistia International no Brasil é uma referência na área da segurança pública e sistema de justiça; defensores de direitos humanos e modelo de desenvolvimento; e solidariedade internacional em torno das violações de direitos em todo o mundo. Nos últimos cinco anos, as ações promoveram uma maior visibilidade ao tema de homicídio de jovens negros na agenda pública nacional, o reconhecimento da organização como voz independente para os direitos humanos, a mobilização da comunidade global contra violações no Brasil e a construção de uma forte rede de ativistas e doadores comprometidos em apoiar os direitos humanos no país.

Os planos da Anistia Internacional para o Brasil em 2017 incluem novas ações no campo da segurança pública e direitos humanos com a campanha Jovem Negro Vivo, a campanha global sobre os direitos das pessoas refugiadas e o lançamento de uma nova campanha para a proteção dos defensores e defensoras de direitos humanos, especialmente aqueles envolvidos em conflitos por terra, território e recursos naturais.

Fundada em 1961, a Anistia Internacional trabalha para acabar com as violações de direitos humanos e promover a justiça e a dignidade em todo o mundo. É um movimento global de mais de 7 milhões de pessoas em 150 países.

……

Saiba mais: 

Transição de liderança na Anistia Internacional Brasil - Atila Roque

20 de dezembro de 2016 ___

Mais Notícias

22 de agosto de 2017 | Direitos sexuais e reprodutivos Mulheres

Chile: descriminalização parcial do aborto é uma importante vitória para os direitos humanos

A decisão de aprovar a descriminalização do aborto em 3 circunstâncias representa uma importante vitória para os direitos humanos e para a proteção da vida e da saúde das mulheres em todo o país.

22 de agosto de 2017 | Política internacional

Angola: novo governo deve deixar no passado a brutal repressão aos direitos humanos

Próximo presidente deve guiar o país para fora da espiral de opressão que manchou os 37 anos do brutal reinado do presidente José Eduardo dos Santos.

21 de agosto de 2017 | Política internacional Migrantes

Todas as quatro famílias são libertadas do centro de detenção de Berks, nos EUA

Nas últimas 2 semanas, vimos 4 famílias sendo libertadas de Berks depois de passarem quase 700 dias na prisão, uma grande vitória da mobilização global em prol dos direitos de migrantes e refugiados.
Carregar mais notícias