20 meses sem Marielle: nós não seremos arrastados para dentro deste labirinto

Imprimir
14 de novembro de 2019 Defensores de direitos humanos
Projeção no Palácio Guanabara / Foto: Paula Kossatz / Divulgação

Hoje, 14 de novembro de 2019, completam-se 20 meses desde o brutal assassinato da defensora de direitos humanos e parlamentar no exercício do seu mandato Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes. Para marcar a data, a Anistia Internacional realizou na noite desta quarta-feira (13), uma projeção nos prédios do Palácio Guanabara, do Ministério Público do Rio de Janeiro, da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro.

Assine a petição: quem mandou matar Marielle, e por quê?

Torne-se um defensor da liberdade: apoie a Anistia Internacional

O Palácio Guanabara e o edifício do MP-RJ abrigam os espaços de trabalho das autoridades responsáveis pelas investigações. Já os deputados que atuam na Alerj têm o papel de fiscalizar e pressionar a atuação do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, pelo empenho neste caso. E a Câmara de Vereadores foi o local de trabalho de Marielle por pouco mais de um ano, em sua atuação encurtada por sua chocante execução.

O objetivo da ação é exigir das autoridades e convidar a sociedade a sair do labirinto deste caso que, infelizmente, só faz aumentar. Nesses vinte meses de investigação do caso, a cada pergunta sem resposta, vazamento de informação não oficial, reviravolta, especulações e interesses, nos deparamos com a parede de um labirinto que parece sem fim. Assim, a Anistia Internacional marca sua posição: nós não seremos arrastados e arrastadas para dentro deste labirinto. Justiça é a única saída. As autoridades responsáveis pela investigação têm a obrigação de dar respostas, não através de vazamentos, mas por vias oficiais e com transparência. Justiça para Marielle e Anderson só estará garantida quando todos os envolvidos nessas mortes tiverem sido identificados, levados à justiça e submetidos a julgamentos justos, imparciais, transparentes e céleres, doa a quem doer.

14 de novembro de 2019 Defensores de direitos humanos

Mais Notícias

16 de março de 2020 | Desenvolvimento

Anistia Internacional Brasil adota medidas de prevenção à Covid-19

Equipe atuará no país em esquema de trabalho remoto, para evitar que funcionários e funcionárias transitem pelo Rio de Janeiro, expondo-se a riscos

9 de março de 2020

Marielle, mulher como inúmeras brasileiras!

Dona de um carisma único, a filha, irmã, mãe, ativista e vereadora viveu em sua vida pública com a mesma coerência da cidadã, moradora e cria da Maré.

27 de fevereiro de 2020 | Direitos sexuais e reprodutivos Política internacional Defensores de direitos humanos Liberdade de expressão Mulheres LGBTI Conflitos Discriminação Terra Indígenas e populações tradicionais Remoções forçadas Violência policial Migrantes

Da retórica à prática: 2019 foi um ano marcado por retrocessos para os direitos humanos no Brasil, mostra relatório

Documento traz também análise sobre a situação na região das Américas e aponta preocupações com direito ao protesto e direitos de migrantes, refugiados e candidatos a asilo
Carregar mais notícias