Inscreva-se e participe das palestras online “Nossas Vidas Importam”

Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    

Toda semana uma live nova com especialistas e representantes de diversas organizações, para falar sobre os impactos da COVID-19 sobre suas vidas e realidades. As transmissões ao vivo são uma iniciativa da campanha Nossas Vidas Importam, lançada pela Anistia Internacional e 35 parceiros e parceiras da sociedade civil, com o objetivo de pressionar as autoridades para que adotem medidas imediatas e suficientes para proteger as populações em situação de vulnerabilidade social no país diante da pandemia da COVID-19.  

28/05, às 19h: Impactos da COVID-19 sobre as mulheres

Seja pelo aumento da violência doméstica, pela ausência de amparo social e econômico ou pela invisibilidade de suas demandas para as autoridades e de uma efetiva resposta a essas necessidades, as mulheres têm sido impactadas pela COVID-19 de maneira preocupante. Segundo relatório divulgado pela ONU Mulheres, as mulheres estão mais expostas ao risco de contaminação e as consequências da pandemia como o desemprego e a pobreza e a falta de acesso aos serviços de saúde. Entre os profissionais de saúde do mundo, 70% são mulheres, o que as coloca em contato direto com o novo coronavírus, aponta o estudo.

Para debater os desafios, mas também refletir sobre as formas de resistência das mulheres, a transmissão desta semana terá Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil, Djamila Ribeiro, filósofa e escritora, Maíra Liguori, diretora da ONG ThinkOlga, Lia Manso, da ONG Criola e Bruna Benevides, da Associação de Travestis e Transexuais (ANTRA).

Como participar?

Inscreva-se preenchendo o formulário abaixo. Você receberá por e-mail, minutos antes da palestra começar, o link da sessão e também será atualizado sobre as próximas participações e sobre os próximos temas dos debates.

Sobre as convidadas:

Djamila Ribeiro 

Djamila Ribeiro é mestra em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo. É coordenadora do Selo Sueli Carneiro e da Coleção Feminismos Plurais. É autora dos livros “Lugar de Fala” (Selo Sueli Carneiro/Pólen Livros), “Quem tem medo do Feminismo Negro?” e “Pequeno manual antirracista” (ambos pela Companhia das Letras). É também professora convidada do departamento de jornalismo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Colunista do jornal Folha de S. Paulo e da revista Marie Claire, esteve secretária adjunta de Direitos Humanos de São Paulo em 2016. Foi laureada pelo Prêmio Prince Claus de 2019, concedido pelo Reino dos Países Baixos e considerada pela BBC como uma das 100 mulheres mais influentes do mundo. 

Bruna Benevides 

Secretária de articulação política da Associação nacional de travestis e transexuais (ANTRA). Autora do dossiê da violência e dos assassinatos contra pessoas trans no Brasil e vencedora do prêmio FAZ DIFERENÇA do jornal o globo. 

Lia Manso 

Lia Maria Manso Siqueira, coordenadora de projetos de Criola. Advogada, mestra em Direitos Humanos e Inovações pela Universidade Federal de Juiz de Fora, desenvolve projetos de formação, mobilização e advocacy em torno de temas desenvolvidos por Criola; bem como, orientação jurídica para mulheres que tiveram os seus direitos violados. Membra fundadora do coletivo “PretAção”. Foi responsável suplente pelo Grupo de Trabalhos Nacional de Mulheres do Movimento Negro Unificado. Foi membro do Núcleo de Assessoria Jurídica Popular Gabriel Pimenta (NAJUP – GP) como advogada popular. 

Maíra Linguori 

Maíra Liguori é jornalista e publicitária, mãe e diretora de impacto na consultoria Think Eva e na ONG Think Olga. Ambas as organizações trabalham o empoderamento feminino tendo como ferramenta a comunicação. Pelo seu trabalho na Think Olga e na Think Eva, foi convidada para palestrar em eventos como TEDx Mauá (2016), South by Southwest (2017), Festival Path e, em 2017, foi eleita uma das 100 mulheres mais inovadoras do mundo pela BBC de Londres. 

Jurema Werneck

Ativista negra, médica (pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal Fluminense), autora e doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nascida no Morro dos Cabritos, Copacabana, acumula uma longa trajetória de luta no movimento de saúde da população negra e dos direitos humanos. É fundadora da ONG Criola, que desde 1992 atua pela garantia dos direitos das mulheres negras no país. Em 2017, assumiu a Direção Executiva da Anistia Internacional Brasil, uma das maiores e mais importantes organizações de direitos humanos do mundo. Jurema integra o Conselho Diretor da Global Fund for Women e é Presidenta do Conselho de Administração do Fundo Brasil de Direitos Humanos. Em 2000, organizou o livro “Saúde das Mulheres Negras: Nossos Passos Vêm de Longe” (em conjunto com Evelyn C. White e Maria Luísa Mendonça).

Confira as palestras anteriores:

  • Impactos da Covid-19 nas favelas e periferias | 14/05

As consequências do que estamos vivendo agora ainda vão demorar para se revelarem por completo e, desde os primeiros momentos, a escalada de contágio pela COVID-19 apresentou desafios para os direitos humanos e expôs escancaradamente a realidade cruel e desigual que muitas pessoas sofrem todos os dias – e como seus direitos são negados constantemente.

Vivemos uma grave crise de ausência de direitos. Como a falta de políticas públicas nos afeta? Quem somos nós nessa pandemia? Debatemos e refletimos sobre os impactos da crise da COVID-19 sobre os moradores e moradoras de favelas com Anielle Franco, diretora do Instituto Marielle Franco; Raull Santiago, comunicador popular e integrante do Coletivo Papo Reto; Mara Carneiro, do CEDECA-CE; Denise Ornelas, da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; e Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional.

  • Impactos da Covid-19 sobre os povos indígenas | 21/05

Entre o enfraquecimento das agências e órgãos responsáveis pelo monitoramento e implementação de políticas públicas, invasões de seus territórios e o consequente aumento da destruição das florestas, a crescente violência física e as ameaças de morte, tudo isso permeado pela retórica do presidente Jair Bolsonaro, os povos indígenas no Brasil têm enfrentado uma série de ofensivas contra seus direitos humanos. Soma-se ainda a expansão da COVID-19 em aldeias e comunidades: já são mais de 400 casos confirmados. 

Para debater os desafios, mas também refletir sobre as formas de resistência e organização da luta dos povos indígenas, participaram da transmissão Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil; Gersem Baniwa, professor e filósofo;  Tsitsina Xavante, articuladora e mobilizadora política; e Toya Manchineri, líder indígena representante da COIAB.

SAIBA MAIS

Nossa Vidas Importamexigimos uma resposta à COVID-19 inclusiva e adequada às necessidades de todos e todas

>  FAÇA DOWNLOAD da agenda de resposta emergencial à COVID-19 para população em situação de vulnerabilidade social

> Fique por dentro e receba em primeira mão, no seu celular, todos os chamados de ação da Campanha Nossas Vidas Importam! É mais uma ótima oportunidade de você agir pelos direitos humanos! Clique aqui e mande a palavra “VIDA” para nosso número de zap!

Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    
Imprimir

Mais Posts

26 de maio de 2020 Jurema Werneck

É preciso dar um basta ao genocídio dos negros

A dor pelo assassinato de João Pedro aumenta a revolta de todos os dias

18 de maio de 2020 Erika Guevara Rosas Tags: , ,

O falso dilema entre os direitos humanos e o controle da COVID-19

As autoridades precisam entender que é contraproducente transgredir os padrões de direitos humanos para proteger a população perante a pandemia.

5 de maio de 2020 Anistia Internacional Tags: , , ,

Postais de uma pandemia

Convidamos pessoas de vários canto do mundo, com realidades diferentes, e que, juntas, fazem parte do movimento da Anistia Internacional a compartilharam suas experiências sobre a pandemia.
Ver todos os posts
Entre em ação

Atue agora e defenda os Direitos Humanos no Brasil e no mundo.

Atue Agora