Em resposta à decisão de hoje da Suprema Corte norte americana de derrubar Roe x Wade, Tarah Demant, diretora nacional interina de programas, advocacy e assuntos governamentais da Anistia Internacional EUA, disse:

“O dia de hoje é um marco sombrio na história dos Estados Unidos, pois a Suprema Corte derrubou Roe v. Wade e privou os americanos do direito ao aborto. Milhões de pessoas que podem engravidar nos Estados Unidos agora enfrentam um futuro em que não podem tomar decisões pessoais e não terão sem liberdade sobre seus corpos, sobre seu futuro e o bem-estar de suas famílias. Essa decisão afeta todas as pessoas nos Estados Unidos, independentemente de sua capacidade de engravidar. Você conhece alguém que fez um aborto. Todos nós, pois, aproximadamente, uma em cada quatro mulheres nos Estados Unidos fará um aborto durante a vida.

“As pessoas serão forçadas a dar à luz e a buscar abortos inseguros. Este é o resultado de uma campanha de décadas para controlar os corpos de mulheres, meninas e pessoas que podem engravidar. E abre caminho para uma legislação estadual sem precedentes para criminalizar o aborto, bem como outros projetos de lei que visam retirar os direitos humanos das pessoas nos Estados Unidos, incluindo o potencial de projetos de lei que afetarão o acesso ao controle de natalidade, gênero e igualdade no casamento, bem como outras leis antidiscriminação.

 

“Independentemente do que a Suprema Corte diga, o aborto continua sendo um direito humano e os estados de todo o mundo ainda são obrigados a defender esse direito. Para aqueles ao redor do mundo que assistem a este momento com a mesma sensação de horror e dor que sentimos, dizemos: o que quer que você esteja sentindo – raiva, medo, traição, tristeza – você não está sozinho. Você faz parte da grande maioria dos americanos que discordam da decisão de hoje. Você é uma das 10 milhões de pessoas em todo o mundo que compõem esse movimento de base pelos direitos humanos. É daí que vem nosso poder e nossa esperança: somos a maioria.

Mais Publicações