Em seu discurso, suas gravações de áudio e tuites subsequentes, o presidente Trump continuou a incitar seus seguidores, levando milhares deles a assaltar e invadir o Capitólio americano. Em resposta, Bob Goodfellow, Diretor Interino Executivo para os EUA da Anistia Internacional, emitiu o seguinte comunicado:

“A adesão do presidente a grupos supremacistas brancos e violentos atiçou ainda mais as chamas do caos e violência que testemunhamos hoje, colocando os direitos humanos e o Estado de direito em risco grave nos Estados Unidos. Todas as autoridades dos EUA precisam respeitar, proteger e cumprir os direitos humanos, incluindo o direito de as pessoas estarem livres de violência, intimidação e racismo.

“A Anistia Internacional trabalha por um mundo em que aqueles que ocupam o poder respeitem a lei, cumpram suas obrigações de direitos humanos e tenham que prestar contas quando deixam de fazê-lo. Temos testemunhado em todo o mundo as consequências trágicas que advêm quando autoridades governamentais disseminam informação falsa e incitam violência racista ou política para se manterem no poder. O mundo está assistindo a isso, assim como nossos mais de 10 milhões de apoiadores e membros.”

“Este é um momento de ajuste de contas para os Estados Unidos. O presidente Trump incentivou múltiplas vezes seus seguidores a cometerem violência e desordem, afetando jornalistas, ativistas, comunidades religiosas e outras. Estes não são os atos de um chefe de Estado, que tem a obrigação de velar pela segurança de todas as pessoas sob sua jurisdição. Todas as autoridades e os representantes públicos devem condenar palavras e ações que alimentam o ódio e a intimidação.”

Antecedentes e contexto

A Anistia Internacional EUA está monitorando a situação e está profundamente preocupada com o que vem ocorrendo no país. A organização exorta o presidente a desescalar, e não intensificar, o clima de medo, incerteza e turbulência. A organização de direitos humanos também conclama o presidente e sua administração a certificar-se de estarem disseminando informações confiáveis e fidedignas, combatendo informação falsa e enganosa e fazendo tudo ao seu alcance para prevenir e condenar ataques e intimidação por parte de grupos de ódio.

Mais Publicações