No dia 10 de novembro, realizamos a primeira ação presencial, contando com a participação de ativistas, desde o início da pandemia no país. Para somar na luta, estiveram presentes Jurema Werneck, diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil, colegas das equipes de comunicação e campanhas da AIB e companheiros de organizações parceiras.

Na ação, entregamos as mais de 34 mil assinaturas coletadas na campanha Omissão não é política pública, que visa pressionar as autoridades a responsabilizarem os culpados pelo desastre sanitário que ocasionou a morte de mais de 600 mil pessoas.

Apesar dos desafios ainda existentes no que se refere à circulação do vírus, foi preciso estarmos juntos e juntas para cobrar presencialmente as autoridades. Seguindo todos os protocolos necessários — que inclui realização de testes pré e pós-ação, distribuição de equipamento de proteção individual e monitoramento de sintomas —, pressionamos, juntamente a outras organizações, para que nossas vozes sejam ouvidas.

A ação ocorreu em pontos marcantes, como Ministério Público Federal, Ministério da Saúde e Congresso Nacional. Nesses locais, a equipe do escritório da Anistia, juntamente aos ativistas e às organizações parceiras, utilizou duas réplicas de arquivo como intervenção cenográfica, com palavras como “negacionismo”, “impunidade”, “ignorância” e “omissão” em evidência. Além disso, foram utilizados faixas e placas com objetivo de convocar mais pessoas à ação. Ao mesmo tempo em que a atividade presencial ocorria, ativistas de outros grupos locais da Anistia engajaram-se, ampliando a visibilidade através de postagens, stories e chamados de ação nas redes sociais.

Todas as pessoas que integram nossos grupos de ativismo têm buscado reinventar formas de defender direitos desde o início das restrições impostas pela crise sanitária.  A resiliência de nossa comunidade ativista é muito importante para seguirmos firmes na luta pelas mais de 600 mil vítimas da omissão.

Seguiremos juntos e juntas exigindo justiça por quem se foi e lutando pelos direitos de quem está aqui.

Mais Publicações