Angelina Jolie e a Anistia Internacional uniram forças para estimular mais crianças e jovens a conhecerem seus direitos, com a publicação de um novo livro que capacita os adolescentes a falarem contra as injustiças.

A publicação “Conheça seus direitos e reivindique-os” explica o que são os direitos das crianças, fornece aos jovens o conhecimento de que precisam para proteger a si mesmos e uns aos outros e mostra como os governos estão falhando em cumprir seu compromisso com os seus direitos. Ele foi escrito em colaboração com a Professora Geraldine Van Bueren QC, uma das redatoras originais da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança.

“Se os governos mantivessem sua palavra e todos os adultos respeitassem os direitos das crianças, não haveria necessidade deste livro. As crianças têm direitos assim como os adultos e devem ter o poder e a agência para reivindicá-los.” afirmou Angelina. “Conheça os seus direitos e reivindique-os é o livro que alguns adultos não querem que as crianças leiam, pois vai lhes dar o conhecimento para defender os seus direitos e os de outras” prosseguiu a a atriz e a ativista.

“Os governos se comprometeram para proteger os direitos das crianças em 1989, mas muitos deles ainda não ouvem as vozes das crianças. Em alguns países, meninas de nove anos são forçadas a se casar. Globalmente, mais de 61 milhões de crianças não frequentam escolas primárias e, em 2019, uma em cada seis crianças vivia em extrema pobreza – um número que aumentou significativamente durante a pandemia. É hora de lembrar ao mundo seu compromisso com os direitos das crianças.” finalizou Jolie.

 

Em alguns países, meninas de nove anos são forçadas a se casar. Globalmente, mais de 61 milhões de crianças não frequentam escolas primárias e, em 2019, uma em cada seis crianças vivia em extrema pobreza – um número que aumentou significativamente durante a pandemia. É hora de lembrar ao mundo seu compromisso com os direitos das crianças. Angelina Jolie

O livro está disponível em livrarias no Reino Unido a partir de hoje e disponível para encomenda nos EUA, Austrália, Nova Zelândia e Grécia e em seguida a outros países como Coréia do Sul, Dinamarca e Alemanha logo atrás. O objetivo dos autores é que o livro seja publicado em todos os idiomas e países, capacitando muitos milhões de jovens a conhecer e reivindicar seus direitos.

Os efeitos sociais e econômicos da pandemia COVID-19 fornecem um claro lembrete de que muitas questões de direitos humanos têm um impacto desproporcional sobre os jovens e, quando se trata de questões que os afetam diretamente, suas vozes raramente são ouvidas ou ouvidas. “Conheça seus direitos e reivindique-os” tem como objetivo equipar os jovens com o conhecimento de que precisam para se levantar e dar sua opinião.

O livro mostra como o conceito de direitos da criança surgiu por meio da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, que foi projetada para dar às crianças o direito a uma voz e a participar em todas as decisões que as afetam. Ele também apresenta guias de procedimentos e ações, junto com as histórias de uma série de jovens ativistas incríveis que estão na vanguarda da defesa dos direitos humanos ao redor do mundo. Seja fazendo campanha sobre as mudanças climáticas, exigindo acesso à educação ou falando contra a discriminação racial e a violência armada, esses jovens inspiradores demonstram o poder de defender aquilo em que acreditamos.

Livro traz histórias de jovens ativistas que se destacam na defesa dos direitos humanos

A ativista palestina Janna Jihad, de 15 anos, é um dos destaques da publicação.

O livro mostra como o conceito de direitos da criança surgiu por meio da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, que foi projetada para dar às crianças o direito a uma voz e a participar em todas as decisões que as afetam. Ele também apresenta guias de procedimentos e ações, junto com as histórias de uma série de jovens ativistas incríveis que estão na vanguarda da defesa dos direitos humanos ao redor do mundo. Seja fazendo campanha sobre as mudanças climáticas, exigindo acesso à educação ou falando contra a discriminação racial e a violência armada, esses jovens inspiradores demonstram o poder de defender aquilo em que acreditamos.

Khairiyah Rahmanyah, 19, nasceu em uma família de pescadores que vive perto do mar no sul da Tailândia. O mar perto de sua casa é uma rica fonte de frutos do mar e lar de espécies marinhas ameaçadas de extinção, como tartarugas marinhas e raros botos cor de rosa. Em 2020, quando ela tinha 17 anos, Khairiyah lançou uma campanha contra o plano do governo tailandês de transformar sua vila em uma propriedade industrial. Como resultado, o governo decidiu adiar a decisão. No entanto, o projeto não foi abandonado e a sua luta por sua comunidade continua.

“Palavras não podem explicar como me sinto por fazer parte deste livro”, disse Khairiyah, que passou horas fazendo piquetes e viajou 1.000 quilômetros até a Casa do Governo em Bangcoc para entregar uma carta ao primeiro-ministro implorando-lhe para parar o desenvolvimento. “Tenho muito orgulho de representar as histórias da minha comunidade. Eu nasci no ativismo e tenho lutado para proteger minha comunidade desde pequeno. Tem sido doloroso viver essa realidade e quero que a vida seja diferente para a próxima geração. Como crianças, devemos ter permissão para aprender sobre nossos direitos e cabe aos adultos nos encorajar, capacitar e apoiar.” afirmou a jovem.

 

 

Crianças devem ter voz frente as decisões que impactarão seu futuro

As crianças têm direito à vida, dignidade e saúde; identidade; igualdade e não discriminação; um lugar seguro para morar; proteção contra danos; participação (incluindo o direito de ser ouvido); integridade corporal; proteção contra a violência armada; justiça e liberdade; privacidade; direitos das minorias e indígenas; Educação; à brincar ; liberdade de pensamento; e voz e protesto pacífico.

Existem cerca de 2,3 bilhões de crianças no mundo, quase um terço da população humana total. Dado o impacto devastador da pandemia global sobre crianças e jovens, nunca foi tão importante muni-los com o conhecimento que merecem. É um direito deles – e é hora de o mundo ouvir e agir.

A Secretária Geral da Anistia Internacional Agnès Callamard, disse: “Devemos todos e todas enfrentar as questões de direitos humanos de hoje, com um olho no futuro, sabendo que somos responsáveis perante o mundo de 2030.  Não devemos apenas nos perguntar – ‘como nossas ações estão impactando as crianças de amanhã?’ – nós precisamos ter certeza de que as crianças estão definindo a agenda para os próximos anos. Isso só pode acontecer se eles conhecerem seus direitos e como reivindicá-los”.

“Quando as crianças não o fazem, elas correm o risco de abuso, discriminação e exploração, muitas vezes nas mãos de adultos. Eles também correm o risco de serem esquecidos, incapazes de participar de decisões importantes sobre o mundo em que vivem e os problemas que herdarão. A Anistia Internacional está fazendo campanha para garantir que os direitos das crianças sejam uma prioridade para os governos em todo o mundo.

Devemos todos e todas enfrentar as questões de direitos humanos de hoje, com um olho no futuro, sabendo que somos responsáveis perante o mundo de 2030.  Não devemos apenas nos perguntar – ‘como nossas ações estão impactando as crianças de amanhã?’ – nós precisamos ter certeza de que as crianças estão definindo a agenda para os próximos anos. Isso só pode acontecer se eles conhecerem seus direitos e como reivindicá-los. Agnès Callamard, Secretária geral da Anistia Internacional

“É por isso que, junto com o livro, lançamos um curso online de educação em direitos humanos com jovens ativistas, que servirá como uma ferramenta poderosa para capacitar jovens e outras pessoas a reivindicar seus direitos em todo o mundo. Quando os jovens são educados sobre seus direitos, eles têm o poder de defendê-los, de se levantar contra as injustiças contra eles próprios e os outros. Conhecimento é a chave. Todos nós nos beneficiaremos de um mundo em que os direitos da criança sejam respeitados. ”

“Conheça seus direitos e reivindique-os” será lançado no Reino Unido em 2 de setembro de 2021, com publicação na Austrália, Grécia, Nova Zelândia e EUA em outubro. O livro estará disponível online e em todas as boas livrarias. O curso online de educação em direitos humanos da Anistia Internacional estará disponível na Academia de Direitos Humanos a partir de 2 de setembro.

Mais Publicações