México: Onde estão os estudantes de Iguala?

Ação encerrada.

Agradecemos a todas as pessoas que participaram.

O desaparecimento dos estudantes não é um caso isolado no México, onde houve mais de 26 mil desaparecimentos entre 2006 e 2012.
1998
AÇÕES

Em 26 de setembro, 43 estudantes desapareceram após terem sido atacados a tiros pela polícia em Iguala, no estado de Guerrero, México.

Os jovens estudavam em uma Escola Normal Rural, em Guerrero, e tinham viajado para Iguala para participar de um protesto relacionado à situação da educação no país. No caminho de volta, a polícia abriu fogo contra os ônibus que levavam os estudantes.

Seis pessoas foram mortas e 20 ficaram feridas. Cerca de 20 estudantes foram presos pela polícia. Outros 43 foram sequestrados e permanecem desaparecidos.

Este caso não é único no México, onde os sequestros e desaparecimentos são uma prática comum em um contexto em que as autoridades muitas vezes se mostram coniventes com gangues criminosas.

Não deixe que este seja mais um caso de impunidade!

O governo mexicano deve investigar, encontrar os estudantes desaparecidos e punir os culpados. Vamos apoiar as famílias para exigir que seus filhos sejam encontrados.

Atualização feita em 15 de janeiro de 2015

O governo mexicano deve enfrentar o conluio entre autoridades e o crime organizado e tomar medidas para acabar com a impunidade, como no caso de indivíduos como o prefeito de Iguala, José Luis Albarca, acusado de ter conexões com o sequestro e o desaparecimento forçado dos 43 estudantes.

Erika Guevara, Diretora da Anistia Internacional para as Américas, e Perseo Quiroz, Diretor Executivo da Anistia Internacional do México irão viajar para Ayotzinapa na semana do dia 19 de janeiro para conversar com alguns parentes dos 43 estudantes desaparecidos e com organizações de Direitos Humanos.

Saiba mais

Cerca de 500 alunos frequentam a Escola Normal Rural Raúl Isidro Burgos, no estado de Guerrero, ao sul da Cidade do México. Eles recebem treinamento para se tornar professores de ensino fundamental nas comunidades rurais. Alguns dos habitantes locais são de origem indígena.

Em geral, essas comunidades – e os próprios alunos – são pobres e sofrem altos níveis de discriminação, marginalização e falta de acesso a serviços básicos.

Os alunos da Escola Normal Rural também são politicamente ativos e protagonizaram várias manifestações pela educação e outras questões políticas. Atos de vandalismo têm sido relatados em alguns desses protestos, e as autoridades públicas frequentemente culpam os professores. As escolas de formação têm sido privadas de recursos nos últimos anos – a educação rural não é uma prioridade do governo.

Outras informações sobre o caso

México: As falhas do governo para enfrentar a crise de direitos humanos do país

Maurício Santoro: México: guerra, impunidade, desaparecimentos

Erika Guevara Rosas: México na encruzilhada

Leia mais +

Entre em ação

Envie a seguinte mensagem à embaixada do México no Brasil:

Excelentíssima,

Escrevo a respeito do caso dos 43 estudantes que estão desaparecidos desde 26 de setembro de 2014. Peço que:

  • A Procuradoria Geral da República assuma a responsabilidade total da investigação sobre o desaparecimento forçado dos 43 estudantes, a fim de estabelecer seu paradeiro prontamente e levar os responsáveis à justiça;
  • A PGR leve a cabo uma investigação completa, imediata e imparcial sobre a morte de seis pessoas em 26 de setembro e o ferimento de muitas outras nas mãos da polícia municipal de Iguala e de indivíduos armados não identificados;
  • As autoridades mantenham os familiares de todas as vítimas adequadamente informados e dê apoio ao trabalho dos peritos forenses internacionais;
  • Seja feita uma investigação completa sobre as circunstâncias do ataque e sequestro dos estudantes em 26 de setembro, e sobre os relatos frequentes de conluio entre funcionários públicos locais e grupos criminosos.

Atenciosamente,

Assinaturas atuais

Marcelo Augusto Campelo de Souza  Recife, Brasil  24 de Março de 2015, 13:46:24
Paula Guagliano  Sao Paulo, Brasil  13 de Março de 2015, 15:24:24
Anônimo Anônimo  Paracatu - MG, Brasil  11 de Março de 2015, 13:40:40
romualdo rodrigues da silva  recife, Brasil  06 de Março de 2015, 12:34:38
Marina Cortés  Sao Paulo, Brasil  05 de Março de 2015, 23:45:56
CARREGAR MAIS