Escreva por Direitos 2017: Xulhaz Mannan

Ação encerrada.

Agradecemos a sua participação!

Este ano foram 5,5 milhões de cartas, 208 países participantes (do Afeganistão ao Zimbabue!) e mudanças positivas da vida de muita gente.

Sobre o caso:

Fundador da única revista de Bangladesh dedicada aos temas LGBTIQ, Xulhaz Mannan foi assassinado em seu apartamento. A solidariedade internacional tem sido essencial para a família de Xulhaz e para seus ex-colegas na revista Roopbaan, que nos disseram: “Estamos impressionados com o apoio global à sua justiça. Esta campanha inspirou com sucesso os membros de Roopbaan a continuar a luta pela igualdade. ”

Saiba mais aqui.

BANGLADESH
1974
AÇÕES

Xulhaz Mannan estava em seu apartamento com um amigo, quando vários homens armados com facões invadiram sua casa e os mataram violentamente. Xulhaz foi fundador da única revista de Bangladesh dedicada aos temas LGBTIQ, um projeto pioneiro em um país onde as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são ilegais. Passado um ano, pesar das evidências, que incluem imagens de câmeras de vigilância e declarações de testemunhas, os responsáveis ainda não foram acusados.

ATUE AGORA! Peça a Bangladesh que leve os assassinos de Xulhaz a justiça.

Assinando esta petição, um e-mail será enviado automaticamente em seu nome para o Ministro de Assuntos Internos, Asaduzzaman Khan. Entre ação!

O assassinato de Xulhaz Mannan não pode passar impune!

Ao Ministro de Assuntos Internos Asaduzzaman Khan

Asaduzzaman Khan
Ministro do Interior
Bangladesh Secretariat, Building – 8
Dhaka
Bangladesh

Senhor Ministro do Interior,

Já se passaram quase 18 meses desde que Xulhaz Mannan e um colega seu foram brutalmente assassinados por agressores que invandiram sua casa armados com facões. Embora haja testemunhas e inúmeros indicios, a investigação da polícia se encerrou e os assassinos de Xulhaz não prestaram contas à justiça.

O fato de não se exigir a responsabilidade de ninguém pelo assassinato de Xulhaz tem semeado o medo entre os defensores e defensoras dos direitos humanos, incluindo ativistas LGBTIQ. Não podem se expressar livremente nem viver sua vida da forma que desejam, por medo de também sofrer os ataques sem que o governo tome qualquer medida para evitar isso.

Por meio desta, peço que envide esforços no sentido de garantir que estes assassinatos não cairão no esquecimento e de que se faça justiça sem mais demora.

Atenciosamente,

Assinaturas atuais

Alexandre Garcia   S?o Paulo, Brasil  02 de Maio de 2018, 16:24:11
Tayanne Frulani  Rio de Janeiro, Brasil  01 de Maio de 2018, 21:38:27
Pedro Paulo Mendon  Santa Catarina, Brasil  30 de Abril de 2018, 07:22:19
Ronyere Silva Lima  Maranh, Brasil  27 de Abril de 2018, 12:46:29
Elenice Gobbi  Rio Grande do Sul, Brasil  27 de Abril de 2018, 10:59:50
CARREGAR MAIS