Escreva por Direitos 2017: Ni Yulan

Ação encerrada.

Agradecemos a sua participação!

Este ano foram 5,5 milhões de cartas, 208 países participantes (do Afeganistão ao Zimbabue!) e mudanças positivas da vida de muita gente.

Sobre o caso:

Ni Yulan defende o direito à habitação na China e, por conta de sua atuação, têm recebido muitas ameaças. Ela foi desalojada e hoje, devido à uma agressão que sofreu enquanto atuava, Ni Yulan utiliza cadeira de rodas. ela tem um recado para dar pra você: “… Devido à atenção internacional [sobre a minha situação], a polícia reduziu suas agressões, abusos verbais e violações dos meus direitos”. Ni Yulan também nos contou que, desde do início da campanha ela e sua família não enfrentaram mais ameaças de despejo em seu novo apartamento.

Saiba mais aqui.

CHINA
5672
AÇÕES

Durante anos, Ni Yulan tem enfrentado ameças e violência física por defender o direito à habitação. A advogada tem apoiado dezenas de pessoas expulsas de suas casas para dar lugar a projetos de construção lucrativos. Com isso, as autoridades tem assediado, vigiado, detido e desalojado Yulan repetidamente. Em uma dessas ocasiões, ela foi agredida com tanta violência que hoje vive de cadeira de rodas. Ni Yulan continua auxiliando pessoas na defesa de seus direitos. Agora é a vez de você defendê-la.

ATUE AGORA! Peça à China que pare de ameaçar Ni Yulan!

Assinando esta petição, um e-mail será enviado automaticamente em seu nome para o Diretor da Secretaria Pública Municipal de Segurança de Pequim, Wang Xiaohong. Entre ação!

Pare de perseguir Ni Yulan imediatamente!

Ao Diretor da Secretaria Pública Municipal de Segurança de Pequim, Wang Xiaohong

Wang Xiaohong
Diretor do Departamento Municipal de Segurança Pública de Pequim
No.9 Dongdajie
Qianmen
Dongchengqu
Beijingshi 100740
República Popular da China

Senhor diretor,

Venho, por meio desta, pedir que ponha fim aos abusos contra Ni Yulan e sua familia.

Ni Yulan há anos vem suportando ataques, vigilância, intimidação e outros abusos por defender pessoas despejadas de suas casas. Recebeu uma pancada tão brutal quando estava sob custódia da polícia que agora vive em uma cadeira de rodas. As autoridades a perseguem há quase vinte anos. Ela e sua família têm sofrido despejo atrás do outro.

A perseguição permanente à qual está sendo submetida deve acabar imediatamente.

Atenciosamente,

Assinaturas atuais

Alexandre Garcia   S?o Paulo, Brasil  02 de Maio de 2018, 15:09:52
Elenice Gobbi  Rio Grande do Sul, Brasil  27 de Abril de 2018, 10:57:12
Lara Papesso  S?o Paulo, Brasil  23 de Abril de 2018, 12:37:39
An?nimo An?nimo  Goi, Brasil  21 de Abril de 2018, 16:41:38
Pedro Paulo Mendon  Santa Catarina, Brasil  20 de Abril de 2018, 18:27:53
CARREGAR MAIS