AÇÃO URGENTE: Pare o comércio de pessoas na Líbia

* Campos obrigatórios

Líbia
9907
AÇÕES

Tortura, detenção, exploração e estupros são horrores diários para muitos refugiados e migrantes na Líbia. Mas, em vez de acabar com esses abusos, a Europa está ajudando a Líbia a deter essas pessoas. Ao treinar e providenciar para a guarda costeira da Líbia navios que transportem migrantes de volta para o país, os líderes europeus estão contribuindo para a continuação de sofrimento indescritível.

Mais de 5.000 migrantes, refugiados e requerentes de asilo estão sendo mantidos em centros de detenção, sem a previsão e a certeza de quando ou se serão liberados. As condições são completamente desumanas – com pouco acesso a alimentos, água ou cuidados médicos. Eles estão enfrentando um tratamento brutal: tortura, estupro e até mesmo casos de vendas.

Precisamos fazer um chamado urgente tanto aos líderes europeus quanto aos da Líbia para que deem um fim a essa situação brutal.

Por que isso é urgente?

Mais de 5.000 migrantes e refugiados estão presos na Líbia e estão à mercê de milícias e grupos armados. Eles estão sofrendo abusos diários e seus direitos estão sendo violados.

 .

Envie um e-mail agora para líderes líbios e europeus e demande que trabalhem juntos para:

  • Libertar todos os migrantes e pessoas refugiadas de centros de detenção e acabar com a detenção arbitrária de pessoas refugiadas e migrantes na Líbia.
  • Investigar todas as alegações de tortura e outros maus-tratos às pessoas refugiadas e migrantes na Líbia, garantir as pessoas suspeitas de praticar abusos sejam investigadas de forma transparente e tenham julgamento justo para pôr fim ao ciclo vicioso de abusos na Líbia.
  • Revisar políticas de migração de cooperação e priorize a proteção dos direitos humanos de pessoas refugiadas e migrantes, em vez de prender as pessoas na Líbia.
  • Reconhecer formalmente a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) e permitir que a organização realize plenamente o seu mandato incluindo a proteção dos requerentes de asilo e de pessoas refugiadas.
 
Texto atualizado em 19/03/2018

Acabe com o comércio de pessoas migrantes e refugiadas na Líbia

Prezado Primeiro-Ministro Fayez Al-Sarraj,

Prezado Presidente da Comissão Européia Donald Tusk,

Estou escrevendo para expressar minha grande preocupação com os relatos chocantes de abusos de pessoas migrantes e refugiadas na Líbia.

Mais de 5 mil migrantes e pessoas refugiadas estão atualmente presas na Líbia em centros de detenção oficiais dirigidos por milícias e grupos armados ligados ao governo. As pessoas migrantes e refugiadas estão presas em condições horríveis, sem acesso a alimentos, água ou medicamentos. Além disso, estão expostas aos abusos mais terríveis, incluindo tortura, extorsão, mão-de-obra limitada e abusos sexuais.

Estou profundamente preocupado com o fato da União Européia treinar, equipar e apoiar a guarda costeira da Líbia. A Europa está prendendo pessoas migrantes e refugiadas na Líbia e sendo alimentando estes abusos.

 

Confinar as pessoas com crueldade não pode ser uma solução, portanto, exijo que:

  • Libertem todos os migrantes e pessoas refugiadas de centros de detenção e acabem com a detenção arbitrária de pessoas refugiadas e migrantes na Líbia.
  • Investiguem todas as alegações de tortura e outros maus-tratos às pessoas refugiadas e migrantes na Líbia, garantam que as pessoas suspeitas de praticar abusos sejam investigadas de forma transparente e tenham julgamento justo para pôr fim ao ciclo vicioso de abusos na Líbia.
  • Revisem políticas de migração de cooperação e priorize a proteção dos direitos humanos de pessoas refugiadas e migrantes, em vez de prender as pessoas na Líbia.
  • Reconheçam formalmente a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) e permitam que a organização realize plenamente o seu mandato incluindo a proteção dos requerentes de asilo e de pessoas refugiadas.

Assinaturas atuais

Theo Carvalho  Alagoas, Brasil  15 de Julho de 2018, 11:30:31
An?nimo An?nimo  Rio Grande do Sul, Brasil  15 de Julho de 2018, 10:47:18
Andressa Ivanez  S?o Paulo, Brasil  14 de Julho de 2018, 22:42:46
Luiz Henrique MACIEL  Santa Catarina, Brasil  14 de Julho de 2018, 21:28:45
Tatiane Santos  S?o Paulo, Brasil  14 de Julho de 2018, 21:17:55
CARREGAR MAIS