AÇÃO URGENTE: mãe é deportada e separada dos filhos

* Campos obrigatórios

vanessa-peru-argentina
25
AÇÕES

Em 4 de fevereiro, Vanessa Gómez Cueva, uma cidadã peruana com residência na Argentina há mais de 15 anos, foi deportada com seu filho argentino de dois anos de idade. Eles forçaram Vanessa a deixar para trás seus outros dois filhos, de 5 e 14 anos, que também são argentinos. Não permitiram nem mesmo um adeus! A ordem de expulsão baseou-se em uma condenação criminal que Vanessa havia cumprido em uma sentença em 2014.

Essa ordem viola os direitos das crianças tanto sob as leis nacionais e quanto internacionais. A Direção Nacional de Migração deve reverter essa ordem e reunir Vanessa com seus filhos novamente!

Vamos pressionar as autoridades e mostrar que o mundo está de olho: ao assinar essa petição, um e-mail em seu nome é enviado automaticamente para o Diretor Nacional de Migrações, sr. Horácio José Garcia, e para o Embaixador da Argentina no Brasil, sr. Carlos Alfredo Magariños

Estimado sr. Horacio García,

Estimado sr. Carlos Alfredo Magariños,

Em 1º de fevereiro, policiais revistaram Vanessa Gómez Cueva em casa e pediram que ela os acompanhasse para “assinar uma notificação”. Vanessa levou seu filho de 2 anos e deixou os outros dois em casa, um com 5 anos e outra de 14 anos. Os policiais levaram Vanessa e seu bebê para uma cela sem eletricidade e água. Mais tarde, eles foram transportados para o aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, onde foram detidos pelas autoridades de imigração. Em 4 de fevereiro, ela foi expulsa do país com seu filho mais novo sem ter tido sequer a possibilidade de dará deus aos seus outros dois filhos, que ficaram sob os cuidados de parentes. Seus três filhos são cidadãos argentinos.

Vanessa é peruana, tem 33 anos e vive na Argentina há mais de 15 anos. Em 2013, ela foi condenada em um curto julgamento a quatro anos de prisão por venda de narcóticos. Depois de cumprir sua sentença em 2014, ela procurou se reintegrar à sociedade argentina e tornou-se Técnica Superior em Enfermagem enquanto estudava e trabalhava. Em 2015, o Escritório Nacional de Imigração decidiu expulsá-la do país, sem considerar sua situação atual ou a existência de seus filhos menores argentinos.

Três meses após a ordem de expulsão, Vanessa interpôs recurso administrativo que foi rejeitado. A decisão de rejeição nunca foi notificada, impedindo-a de recorrer à justiça. Em outubro de 2018, a Direção Nacional de Migração solicitou à Justiça que retivesse Vanessa para executar a ordem de expulsão. Vanessa foi detida com seu bebê em 1 de fevereiro de 2019 e ambos foram expulsos do país três dias depois. Desde então, ela não viu seus outros dois filhos. Sua expulsão viola o direito à vida em família, a unidade familiar e os melhores interesses da criança, garantidos pela legislação nacional e pelos tratados internacionais, inclusive os padrões regionais, ratificados pela Argentina.

Nós pedimos que o senhor reverta imediatamente a disposição de expulsão, permita sua volta à Argentina com seu bebê e garanta a reunião familiar com seus dois filhos.

Atenciosamente,

Assinaturas atuais

An?nimo An?nimo  Distrito Federal, Brasil  21 de Abril de 2019, 16:07:06
Luiz Fabiano de Oliveira Rosa Rosa  Distrito Federal, Brasil  19 de Abril de 2019, 01:52:15
An?nimo An?nimo  Rio de Janeiro, Brasil  18 de Abril de 2019, 15:48:37
Marina Alencar Lima  S?o Paulo, Brasil  18 de Abril de 2019, 10:04:09
An?nimo An?nimo  S?o Paulo, Brasil  17 de Abril de 2019, 11:41:24
CARREGAR MAIS