Defensor dos direitos humanos preso por ajuda humanitária

* Campos obrigatórios

scott-warren-frontiera
17193
AÇÕES

Em 17 de janeiro de 2018, a patrulha de fronteira dos Estados Unidos prendeu o Dr. Scott Warren, 36 anos, defensor dos direitos humanos e voluntário de ajuda humanitária. Agora, o governo dos Estados Unidos o acusa de abrigar dois imigrantes ilegais por prover-lhes ajuda humanitária em Ajo, cidade no deserto onde ele vive.

Caso seja condenado por todas as acusações, Warren terá de cumprir 20 anos de prisão. O julgamento, iniciado em 29 de maio de 2019, foi declarado nulo porque o júri não chegou a uma decisão unânime. Oito membros o declararam inocente e quatro, culpado. O juiz, portanto, dispensou o júri e convocou uma audiência para 2 de julho na qual a promotoria (o governo) iria indicar se pretendia ou não julgar Scott. Infelizmente, a decisão foi manter o julgamento, previamente marcado para acontecer no dia 12 de novembro. Isso nos preocupa devido à onda de criminalização contra a ajuda humanitária que o governo de Trump tem adotado como medida. O procurador ainda pode retirar as acusações. Por isso, é muito importante pressionar para que a decisão de libertá-lo seja tomada imediatamente.

Entre em ação agora e exija que as autoridades retirem imediatamente todas as acusações criminais contra o Dr. Warren por seu trabalho humanitário vital. 

Ao assinar esta petição, um e-mail em seu nome é enviado automaticamente para o Mr. Michael Bailey, autoridade de justiça norte-americana no distrito do Arizona.

Caro Sr. Bailey,

Escrevo para pedir que você retire imediatamente as acusações contra o Dr. Scott Warren (caso 4: 18-cr-00223-RCC-DTF), que parecem constituir uma violação motivada por razões políticas devido a sua atuação como defensor dos direitos humanos.

As atividades voluntárias do Dr. Warren e da organização à qual ele é associado, a No More Deaths, fornecem ajuda humanitária vital na defesa do direito à vida, evitando, assim, a morte de imigrantes e requerentes de asilo no Deserto de Sonora.

Defensores dos direitos humanos em grupos de ajuda humanitária, comunidades religiosas, grupos ativistas e comunidades em cidades ao longo da fronteira prestam assistência a esses migrantes por muitos anos.

As leis criminais, civis e administrativas não devem ser usadas indevidamente para perseguir e acossar quem defende os direitos humanos e atua em prol dos direitos de imigrantes, requerentes de asilo e refugiados ou outros cujas vidas e demais direitos humanos estejam sob risco de violação.

Os Estados devem assegurar que os defensores dos direitos humanos e suas organizações possam realizar seu trabalho em um ambiente seguro e favorável, sem medo de represálias.

Criminalizar o ato de ajuda humanitária e as formas mais básicas de bondade humana, independentemente do status de cidadania, é um ataque aos direitos humanos.

Eu peço que você retire imediatamente todas as acusações contra o Dr. Warren.

Com os melhores cumprimentos,

Assinaturas atuais

An?nimo An?nimo  S?o Paulo, Brasil  18 de Outubro de 2019, 11:09:13
ana curcelli  S?o Paulo, Brasil  17 de Outubro de 2019, 19:36:56
DIANA DA SILVA ALVES  Goi, Brasil  17 de Outubro de 2019, 08:21:17
Beatriz Vendramini  Santa Catarina, Brasil  16 de Outubro de 2019, 22:20:31
Cesar Garcia   Rio de Janeiro, Brasil  16 de Outubro de 2019, 20:05:49
CARREGAR MAIS