AÇÃO URGENTE: Ativistas mortos em uma escala de violência no México

Ação encerrada.

Agradecemos a sua mobilização! Sua assinatura é essencial para a defesa dos direitos humanos.

Quer fazer mais? Acesse a área de ENTRE EM AÇÃO e mobilize sua rede!

mexico-rural
671
AÇÕES

Em 17 de janeiro, homens armados não identificados atacaram manifestantes em Amatán, no estado de Chiapas, no sul do México. Noé Jiménez Pablo e José Santiago Gómez Álvarez, dois ativistas pelos direitos econômicos, sociais e culturais e membros do Movimento Camponês Regional Independente (MOCRI), foram presos e privados de sua liberdade por esses homens armados. No dia seguinte, os corpos dos dois ativistas foram encontrados em lixão local com feridas. Apesar de o governo ter enviado alguns agentes do estado em reação aos assassinatos, os membros da comunidade temem mais ataques e que essas medidas sejam insuficientes para protegê-los.

Vamos pressionar o governo e reforçar a necessidade de investigação e justiça para esse crime e exigir que assegure a proteção de defensores, ativistas e da comunidade.

Assine esta petição e exija que a Secretária de Governo: 

  • investigue de maneira imediata, detalhada e imparcial esses ataques;
  • leve os responsáveis à justiça em julgamentos justos;
  • tome todas as medidas necessárias sejam tomadas, de acordo com o direito internacional dos direitos humanos, para prevenir novos ataques à comunidade e para garantir que os membros do MOCRI possam realizar seu trabalho de direitos humanos sem medo de represálias.

.

Tradução da carta

Senhora Secretária,

Escrevo para a senhora diante da urgente situação em relação aos recentes ataques que membros da organização Movimento Camponês Regional Independente (MOCRI), que atuam em favor dos direitos econômicos, sociais e culturais, estão enfrentando na região de Chiapas, município de Amatán (MX).

No dia 17 de janeiro, um grupo de homens armados não-identificados atacou ativistas do MOCRI. Durante o ataque, várias pessoas foram presas e privadas, ilegalmente, de sua liberdade por esses homens armados. Segundo relatos de testemunhas, pelo menos uma pessoa foi ferida a tiros. Muitos membros do MOCRI e moradores da região fugiram da comunidade frente o terror e o medo em tornar-se vítimas de novos ataques.

No dia 18 de janeiro, foram encontrados, com feridas, os cadáveres de Noé Jiménez Pablo e de José Santiago Gómez Álvarez, que estavam desaparecidos desde o dia do ataque. Testemunhas afirmaram que os corpos encontradas apresentavam sinais de terem sido brutalmente espancados. Em princípio, o governo municipal de Amatán e o governo estadual de Chiapas negaram o desaparecimento destes dois ativistas.

Exijo que iniciem imediatamente uma investigação imediata, detalhada e imparcial sobre esses ataques, e que os responsáveis sejam levados à justiça em julgamentos justos. Também insto
que todas as medidas necessárias sejam tomadas, de acordo com o direito internacional dos direitos humanos, para prevenir novos ataques à comunidade e para garantir que os membros do MOCRI possam realizar seu trabalho de direitos humanos sem medo de represálias.

Cordialmente,

Ativistas mortos em uma escala de violência no México

Señora Secretaria:

 

Me dirijo a usted respecto a la urgente situación, y los recientes ataques, a los que se enfrentan los miembros de la organización Movimiento Campesino Regional Independiente (MOCRI), que hace campaña en favor de los derechos económicos, sociales y culturales en el altiplano de Chiapas, municipio de Amatán. Los miembros de MOCRI denuncian corrupción y diversos problemas relacionados con el gobierno municipal, y reclaman una mejora de las condiciones de vida y los servicios públicos básicos para la comunidad.

 

El 17 de enero, un grupo de hombres armados no identificados atacó a manifestantes pertenecientes a MOCRI. Durante el ataque, varias personas fueron aprehendidas y privadas ilegalmente de su libertad por los hombres armados no identificados. Según los relatos de testigos, al menos una persona resultó herida de bala. Muchos miembros de MOCRI y residentes locales huyeron de la comunidad ante el temor a convertirse en víctimas de los ataques.

 

El 18 de enero se encontraron los cadáveres, con heridas, de Noé Jiménez Pablo y José Santiago Gómez Álvarez, desaparecidos desde el día del ataque. Los testigos han afirmado que los cadáveres presentaban señales de haber sido brutalmente golpeados. El gobierno municipal de Amatán y el gobierno estatal de Chiapas inicialmente negaron la desaparición de estos hombres.

 

La insto a iniciar de inmediato una investigación rápida, exhaustiva e imparcial sobre estos sucesos, y a llevar a los responsables ante la justicia en juicios justos; la insto también a tomar todas las medidas necesarias, de acuerdo con el derecho internacional de los derechos humanos, para prevenir nuevos ataques en la comunidad y para garantizar que los miembros de MOCRI pueden realizar su trabajo de derechos humanos sin temor a represalias.

Atentamente,

Assinaturas atuais

Elisabete Molini  S?o Paulo, Brasil  21 de Março de 2019, 19:26:49
Pedro Rog?rio Gallo  S?o Paulo, Brasil  21 de Março de 2019, 17:06:58
Luiz Gustavo Meduna Giongo e Silva  S?o Paulo, Brasil  19 de Março de 2019, 02:37:41
Thais de Oliveira Miranda  S?o Paulo, Brasil  18 de Março de 2019, 00:01:48
Marilia Gabriela  Cear, Brasil  16 de Março de 2019, 12:23:40
CARREGAR MAIS