Direitos humanos: o que as autoridades devem e não devem fazer ao responder à pandemia da Covid-19

* Campos obrigatórios

Saúde e vida são direitos humanos! Enfrentamos o que já se configura como uma das maiores crises da história, com esses dois direitos tão básicos e preciosos para nós ameaçados diante da pandemia da Covid-19. Diante disso, a Anistia Internacional publicou recomendações para os governos dos países da região das Américas, cujo contexto é bastante diferente de outras regiões do mundo, para assegurar que suas respostas à crise do coronavírus estejam alinhadas com suas obrigações internacionais de direitos humanos, além de identificar uma série de violações dos direitos humanos que antecedem a pandemia, mas podem se agravar por conta dela.

O documento é estruturado de maneira a destacar quatro coisas que os governos devem fazer e quatro coisas que não devem fazer, a fim de garantir, preservar e promover os direitos humanos de todos e todas nós no atual contexto. Preencha o formulário ao lado e tenha acesso ao briefing com as nossas recomendações na íntegra.

E não esqueça de compartilhar nas redes sociais, ampliando a visibilidade deste chamado pelos direitos humanos em meio à crise da Covid-19. Boa leitura!

Recomendação: ao baixar o material, certifique-se de salvar o PDF no seu aparelho. Cada inscrição no formulário permite o acesso ao documento apenas uma vez.

Leia também: 

NOTA: Troca no Ministério da Saúde: autoridades devem promover direitos à vida e à saúde;

Anistia Internacional Brasil adota medidas de prevenção à Covid-19;

Anistia Internacional sobre o pronunciamento do Presidente Bolsonaro: saúde e vida são direitos humanos básicos;

Américas: Anistia Internacional destaca prioridades de direitos humanos para as respostas dos Estados ao COVID-19.

*Crédito foto: Nik Andr

Saiba mais:

> Fique por dentro e receba em primeira mão, no seu celular, todos os chamados de ação, informes e dicas da Anistia Internacional Brasil. É mais uma ótima oportunidade de agir pelos direitos humanos! Clique aqui e mande a palavra “pandemia” para nosso número de zap!