Baixe nosso relatório e saiba mais sobre a relação entre o gado ilegal na Amazônia e a JBS

* Campos obrigatórios

Na Amazônia brasileira, invasões e grilagem de terras para uso na pecuária bovina comercial ilegal vêm aumentando às custas dos direitos dos povos indígenas e das comunidades tradicionais residentes nas reservas extrativistas. E são uma ameaça tanto para floresta, quanto para as populações que habitam e dependem dela. No seu novo relatório Da Fazenda à Floresta, a Anistia Internacional revela que gado bovino criado ilegalmente em áreas protegidas da floresta amazônica brasileira entrou na cadeia de fornecimento da maior produtora de carne bovina do mundo, a JBS.

Em 2020, a Anistia Internacional entrevistou indígenas e povos tradicionais residentes em reservas extrativistas em  três áreas protegidas no estado de Rondônia, no norte do país: a Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau e as Reservas Extrativistas do Rio Jacy-Paraná e do Rio Ouro Preto. De acordo com dados do governo brasileiro, 63% da área desmatada entre 1988 e 2014 na Amazônia brasileira foi convertida em pasto para gado bovino.

Torne-se um defensor da liberdade: apoie a Anistia Internacional

A organização não encontrou qualquer evidência que indicasse envolvimento direto da JBS em violações de direitos humanos nos três locais investigados. Contudo, em todas as três áreas, recentes apropriações ilegais de terras levaram a uma perda de terras tradicionais, que são protegidas pela legislação brasileira. Os direitos dos povos indígenas às suas terras são também protegidos pelo o direito internacional dos direitos humanos. A pecuária bovina comercial é, portanto, proibida por lei nos três locais.

A Anistia Internacional obteve dados oficiais sobre pecuária bovina comercial em áreas protegidas através de pedidos de informação ao governo de Rondônia com base na Lei de Acesso à Informação. Além disso, analisamos documentos oficiais de controle sanitário e de saúde animal e imagens de satélite.  Essas imagens foram feitas ente janeiro e maio de 2020, e mostram claramente tentativas recentes de ampliar a pecuária bovina comercial ilegal nas três áreas. As imagens revelam, ainda, áreas desmatadas recentemente, a construção de bebedouros de água para gado bovino e a presença de gado bovino pastando.

Quer ficar por dentro de todos os detalhes das nossas investigações e atualizada(o) sobre o crescente desmatamento na Amazônia em decorrência da pecuária bovina? Preencha o formulário desta página e baixe o nosso relatório completo agora.

Recomendação: ao baixar o material, certifique-se de salvar o PDF no seu aparelho. Cada inscrição no formulário permite o acesso ao documento apenas uma vez.

 

SAIBA MAIS:
> Assine a petição e diga à JBS para não comprar gado ilegal da Amazônia!
> Fique por dentro e receba em primeira mão, no seu celular, todos os chamados de ação da Campanha da Amazônia! É mais uma ótima oportunidade de você agir pelos direitos humanos! Clique aqui e mande a palavra “FLORESTA” para nosso número de zap!