Educadores e educadoras: a aposta no diálogo

Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    

Por Paulo Vicente*

A educação é um direito de todas as pessoas. Dificilmente vamos encontrar alguém que negue essa afirmação. Como muitos outros aspectos da nossa existência necessários para uma vida digna e boa, ela faz parte do conjunto de Direitos Humanos. Sua importância está confirmada na Declaração Universal dos Direitos Humanos (artigo 26) e na Constituição Federal do Brasil (artigos 6 e 205). Isso significa dizer que a sociedade e o Estado brasileiro assumiram o compromisso de garantir, de proteger e de fazer com que se cumpram no dia-a-dia esse e outros direitos acordados no mundo inteiro e previstos em nossas leis. Mas ainda temos um caminho pela frente para que essa promessa seja realidade para todo mundo. Embora a tarefa não seja simples, muita gente tem se dedicado a luta por esse mundo mais justo, solidário e que tem como referências a paz, o respeito à diversidade e às liberdades fundamentais. Algumas dessas pessoas escolheram fazer isso por meio de sua profissão, como os educadores e educadoras de nosso país.

A aposta no diálogo como ferramenta educativa, o reconhecimento e a valorização da potência de todas as pessoas e o desejo de apresentar possibilidades para leitura do mundo e da vida acompanham profissionais de ensino comprometidos e comprometidas com uma educação libertadora.  A atuação de professores e professoras nos lembra que a educação, como todo direito, diz respeito à vida das pessoas e ao reconhecimento do valor de todos os seres humanos. Cabe a nós reconhecer em todos os momentos a importância desses e dessas que por meio de seu trabalho facilitam os caminhos para que nos tornemos pessoas críticas e capazes de lutar por transformações.

Inspirados na vocação para o diálogo de educadores e educadoras, fica o convite para que conversem sobre seus direitos e sobre como eles se relacionam com o cotidiano. Preparamos um curso na Academia de Direitos Humanos da Anistia Internacional, para que possam dialogar sobre o tema. 

Agradecemos a luta de todos os professores e professoras do Brasil. Deixamos as palavras de Paulo Freire, melhores do que qualquer despedida: “Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo”.

*Paulo Vicente é Coordenador de Educação em Direitos Humanos da Anistia Internacional Brasil

 

Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    
Imprimir

Mais Posts

7 de julho de 2020 Anistia Internacional Tags:

Inscreva-se e participe das palestras online “Nossas Vidas Importam”

Toda semana uma live nova com especialistas e representantes de diversas organizações, para falar sobre os impactos da COVID-19 sobre suas vidas e realidades.

2 de julho de 2020 Anistia Internacional Tags:

Caso Miguel e pandemia expõem violações de direitos das domésticas

O mês de junho trouxe à luz os desafios que temos, como país, para romper definitivamente com a herança escravocrata ainda tão ligada ao trabalho doméstico.

24 de junho de 2020 Anistia Internacional Tags: ,

Vale a pena comemorar seis meses de vitórias dos direitos humanos!

Vamos celebrar os sucessos dos direitos humanos, contra todas as probabilidades, conquistados
Ver todos os posts
Resultados

Conheça alguns dos casos de sucesso que foram trabalhados pela Anistia Internacional.

Saiba mais