“Você matou meu filho!”

Campanha: Jovem Negro Vivo & Diga não à execução
Região: Américas
País: Brasil
Polícia Militar no Vidigal, 2011

“Você matou meu filho!”: Homicídios cometidos pela Polícia Militar na cidade do Rio de Janeiro

 

Execuções extrajudiciais cometidas por policiais são frequentes no Brasil. No contexto da chamada “guerra às drogas”, a Polícia Militar tem usado a força letal de forma desnecessária e excessiva, provocando milhares de mortes ao longo da última década. As autoridades utilizam com frequência os termos “auto de resistência” ou “homicídio decorrente de intervenção policial” (usados nos registros de mortes provocadas por policiais em serviço e justificadas com base na legítima defesa) como uma “cortina de fumaça” para encobrir execuções extrajudiciais promovidas pelos policiais.

Este relatório se baseia em uma série de casos de homicídios praticados por policiais militares nos anos de 2014 e 2015 na cidade do Rio de Janeiro, em particular na favela de Acari. A Anistia Internacional realizou entrevistas com vítimas e familiares, testemunhas, defensores de direitos humanos, representantes de organizações da sociedade civil, especialistas em segurança pública e autoridades locais, e coletou detalhes sobre as cenas dos crimes, registros de ocorrência, atestados de óbito, relatos de especialistas e inquéritos policiais. Através deste material, a Anistia Internacional verificou a existência de fortes indícios de execuções extrajudiciais e um padrão de uso desnecessário e desproporcional da força pela Polícia Militar.

Atue agora: Chega de homicídios pela Polícia Militar no Rio de Janeiro! Diga não à execução.

*Leia o relatório em português, ou em inglês.

MAIS RELATÓRIOS

Manual: Meu Corpo Meus Direitos

Meu Corpo Meus Direitos é a campanha global da Anistia Internacional pelo fim do controle e da criminalização da sexualidade e da reprodução por parte dos governos e outros agentes

Síria: Matadouro humano: enforcamentos em massa e extermínio na prisão de Saydnaya

Na prisão militar de Saydnaya, as autoridades sírias organizaram silenciosa e metodicamente o assassinato de milhares de pessoas sob sua custódia.
Mais publicações
Informes Anuais

A cada ano, um resumo do estado dos direitos humanos em centenas de países.

Saiba mais
Frentes de atuação

Descubra nossas formas de atuação e junte-se a nós na defesa dos direitos humanos!

Saiba mais