Candelária e Vigário Geral 10 anos depois

Região: Américas
País: Brasil
Vigilia em memória as vítimas da chacina da Candelária. Julho de 2013.

As chacinas de Vigário Geral e Candelária, ambas no Rio de Janeiro em 1993, chocaram o mundo. O massacre de civis e crianças desarmados, indefesos e inocentes se mostrou ainda pior quando surgiram as evidências de que ambos os massacres haviam sido realizados por membros da Polícia Militar do Rio de Janeiro, indivíduos pagos, treinados e equipados pelo estado para proteger a sociedade do crime e da violência. 10 anos depois, pouca coisa mudou. A Anistia Internacional constatou que ser pobre no Rio de Janeiro continua a significar estar preso em um ciclo de violência, com pouca, ou nenhuma fonte de proteção. O policiamento das comunidades pobres é violento, repressivo e, muitas vezes, corrupto. Essas comunidades não são apenas excluídas do acesso a direitos econômicos e sociais fundamentais, como seu direito de viver em paz e segurança é constantemente negligenciado, ou até mesmo violado, por parte do Estado.

MAIS RELATÓRIOS

Informe 2018: Balanço Geral

Publicação com as principais atividades realizadas pela Anistia Internacional Brasil no ano de 2018

Salvar vidas não é crime: Assédio politicamente motivado contra defensores de direitos humanos de pessoas migrantes

O governo dos EUA executou uma campanha de ameaças, assédio e investigações criminais ilícitas e politicamente motivadas contra defensores de direitos de pessoas migrantes na fronteira EUA-México.

Fome de Justiça: crimes contra a humanidade na Venezuela

Execuções extrajudiciais, detenções arbitrárias, mortes e ferimentos causados pelo uso excessivo da força fazem parte da lista de abusos do governo de Nicolás Maduro.
Mais publicações
Informes Anuais

A cada ano, um resumo do estado dos direitos humanos em centenas de países.

Saiba mais
Frentes de atuação

Descubra nossas formas de atuação e junte-se a nós na defesa dos direitos humanos!

Saiba mais