Atirar para matar: a estratégia da Nicarágua para reprimir protestos

Região: Américas
Protestos na Nicarágua. Foto: Inti Ocon/AFP/Getty Images

O relatório da Anistia Internacional, intitulado “Shoot to kill: Nicaragua’s strategy to suppress protest” (Atirar para matar: a estratégia da Nicarágua para reprimir protestos), documenta o uso de armamento letal pela polícia, o elevado número de pessoas atingidas por armas de fogo, a trajetória dos tiros disparados, a concentração de ferimentos por balas na cabeça, pescoço e tronco, tentativas de obstrução à justiça e de forjar a natureza das mortes. Estes padrões levam a Anistia Internacional a concluir que existem provas de que a polícia da Nicarágua e grupos armados pró-governamentais cometeram múltiplas execuções extrajudiciais.

MAIS RELATÓRIOS

O labirinto do caso Marielle Franco e as perguntas que as autoridades devem responder

Anistia Internacional divulga novo levantamento reunindo informações veiculadas publicamente sobre o caso Marielle Franco que indicam possíveis incoerências e contradições no decorrer das investigaçõe

Reality Check: O estado dos direitos de trabalhadores migrantes faltando menos de quatro anos para a Copa do Mundo do Catar em 2022

Faltando menos de quatro anos para a Copa do Mundo de 2022, autoridades do Catar correm o risco de não cumprir a promessa de combater a exploração de milhares de trabalhadores migrantes

‘Você não tem nenhum direito aqui’: Expulsões ilegais, detenções arbitrárias e maus-tratos de requerentes de asilo nos Estados Unidos

Relatório expõe violações de direitos humanos cometidas pelo governo dos EUA contra pessoas que buscam asilo na fronteira
Mais publicações
Entre em ação

Atue agora e defenda os Direitos Humanos no Brasil e no mundo.

Atue Agora