Continuaremos mobilizados até que todos os prisioneiros de consciência na Arábia Saudita estejam livres!

Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    

Tags: ,

O blogueiro saudita Raif Badawi foi detido em junho de 2012 e condenado em 2014 pela criação de um site focado no debate social e político. Ele foi condenado a 10 anos de prisão e 1.000 chibatadas. Quando autoridades da Arábia Saudita o flagelaram pela primeira vez, no dia 9 de janeiro de 2015, apoiadores da Anistia Internacional em todo o mundo se uniram, fazendo com que as autoridades recebessem críticas em nível internacional e exigindo a libertação de Raif Badawi e todos os outros prisioneiros de consciência. Desde então, ele não foi flagelado novamente.

Raif com seus filhos, que atualmente estão  em asilo político em Quebec. no Canadá

Nos últimos três anos, nossos apoiadores estiveram mobilizados de forma incansável na porta de embaixadas da Arábia Saudita em todo o mundo, realizaram vigílias à luz de velas, pressionaram as autoridades da Arábia Saudita nas redes sociais e redigiram centenas de milhares de cartas e mensagens de solidariedade exigindo a liberdade de Raif e de todos os outros prisioneiros de consciência detidos em na Arábia Saudita.

Protesto na Embaixada da Arábia Saudita em Haia a favor da libertação de Raif e presos de consciência.

Agora, mais do que nunca, devemos manter a pressão, já que a situação dos direitos humanos na Arábia Saudita está piorando.

Envio de 230 mil assinaturas colhidas na França, em 2016.

Nos recusamos a deixar que o terrível histórico dos direitos humanos da Arábia Saudita não seja notado. A repressão à sociedade civil e à liberdade de expressão persiste inabalável, já que as autoridades continuam a julgar defensores dos direitos humanos por acusações relacionadas ao seu ativismo pacífico.

Foto: Tomi Asikainen

Dezenas de ativistas, defensores de direitos humanos, escritores e advogados permanecem atrás das grades, incluindo o advogado de Raif, Waleed Abu al-Khair, simplesmente por exercer seus direitos à liberdade de expressão, associação e reunião pacífica. Mas, os números têm poder e não pararemos até que todos os prisioneiros de consciência sejam livres.

Aqui estão três maneiras de exigir que a Arábia Saudita respeite os direitos humanos:

Exigir que Raif, Waleed e todos os prisioneiros de consciência sejam libertados

208028_London vigil for Raif Badawi

A Arábia Saudita é conhecida por ser sensível sobre sua imagem pública e posição internacional. Encorajamos você a marcar as autoridades publicamente nas redes sociais. Pressione em defesa da liberdade de expressão e pela libertação de todos os prisioneiros de consciência.

Tweet agora: Defender os direitos humanos não é crime! @KingSalman: Libere todos os prisioneiros de consciência na Arábia Saudita agora! @raif_badawi @acprahr @WaleedAbulkhair

Peça que a Arábia Saudita pare de usar a lei antiterrorismo contra defensores de direitos humanos

206560_Demonstration Raif Badawi Helsinki_ Finland

Em relação às suas atividades pacíficas, defensores dos direitos humanos continuam sendo processados ​​por acusações vagas e amplas ao abrigo da lei antiterrorista. Eles podem ser sentenciados a até 15 anos de prisão após julgamentos injustos diante do Tribunal Penal Especializado – um tribunal sem credibilidade criado para lidar com crimes de segurança e terrorismo. Na semana passada, especialistas da ONU repudiaram o uso da lei antiterrorista pela Arábia Saudita e exigiram o fim da repressão para ativistas pacíficos.

Tweet a declaração da ONU agora: especialistas da ONU exigem que a Arábia Saudita pare com a repressão a defensores de direitos humanos sob a lei antiterrorismo e liberte todos os ativistas pacíficos: http://bit.ly/2AFrIbL

 

Exija que seu governo pressione a Arábia Saudita pelo fim da repressão aos direitos humanos

Seu governo deveria fazer tudo o que puder para que a Arábia Saudita faça a coisa certa. Envie um tweet para as contas oficiais do seu governo (por exemplo, o Ministério das Relações Exteriores ou a Embaixada do seu país na Arábia Saudita) e peça-lhes para libertar Raif, Waleed e todos os prisioneiros de consciência.

Aqui estão as contas do Twitter para algumas embaixadas na Arábia Saudita:

UE: @EUintheGCC

Alemanha: @GermanyinKSA

Países Baixos: @NLinKSA

Suécia: @SwedeninKSA

Reino Unido: @UKinSaudiArabia

EUA: @USAinKSA

Brasil: @BRAZEMBKSA

Saiba mais

Ativista punido com chicotadas publicamente na Arábia Saudita

Arábia Saudita: 10 fatos brutais para além do caso de Raif Badawi

Arábia Saudita: flagelamento de Raif Badawi desafia o direito internacional

Um inferno de tortura para minha família: a flagelação de Raif Badawi

Arábia Saudita: um ano de repressão sangrenta desde a flagelação de Raif Badawi

Anistia Internacional

VER TODOS OS POSTS    
Imprimir

Mais Posts

8 de janeiro de 2018 Jurema Werneck

Os dois lados da mesma moeda

A ausência do Estado na garantia dos direitos básicos dos presos e sua falta de controle sobre as unidades fazem dos presídios locais de recrutamento para facções e grupos criminosos.

28 de novembro de 2017 Lígia Batista

Cinco vidas interrompidas: dois anos da Chacina de Costa Barros

Dois anos da chacina que deixou cicatrizes dolorosas na vida de cinco famílias. Cinco jovens negros foram brutalmente assassinados por policiais em Costa Barros

13 de outubro de 2017 Stefan Simanowitz

Eu sinto falta de música, dos meus amigos, meu trabalho e, claro, meus gatos

O cineasta Jean Cocteau disse uma vez que amava gatos porque amava sua casa e "pouco a pouco, gatos tornam-se sua alma visível". Ídil Eser entende bem esse sentimento. Conheça os gatos de Idil
Ver todos os posts
Resultados

Conheça alguns dos casos de sucesso que foram trabalhados pela Anistia Internacional.

Saiba mais