7 razões porque “Eu não tenho nada a esconder” é a resposta errada à vigilância em massa

Ben Beaumont

VER TODOS OS POSTS    

Quando lançamos #UnfollowMe, nossa campanha para acabar o uso de vigilância em massa pelos governos, a página da Anistia no Facebook e nos feeds do Twitter foram inundadas. Muitas pessoas nos disseram: “Se você não tem nada a esconder, não tem nada a temer”. O raciocínio é que se você não fez nada errado, não importa se os governos querem coletar todos os seus dados, e-mails, telefonemas, imagens de webcam e buscas na internet, porque eles não acharão nada errado que possa interessar. É um argumento atraente, mas não está correto – e eis aqui o porquê.

Muito tem sido escrito sobre esta questão, mas para poder responder, nós olhamos as postagens dos apoiadores da Anistia no Facebook. Nós usamos seus comentários para explicar porque “nada a esconder” é a maneira errada de responder ao uso de vigilância em massa pelos governos.

1. “A privacidade deve ser um direito, a menos que alguma coisa seja feita que levante suspeitas legítimas” Karine Davison

Normalmente, governos conduzem vigilância direcionada, quando monitoram uma pessoa ou grupo por uma específica e legítima razão. Para isso, eles precisam da permissão de um juiz, por exemplo, para monitorar o uso da internet de alguém que eles suspeitam de atividade criminosa. Se a vigilância for indiscriminada, nossas comunicações estarão sendo monitoradas sem nenhuma suspeita razoável de que nós possamos estar fazendo alguma coisa suspeita. Governos estão nos tratando a todos como suspeitos de crime, e cada detalhe de nossas vidas como incriminadores. E existem poucas leis para controlar o que eles estão fazendo.

2. “Então nenhum problema com a webcam em seu banheiro ou seu quarto também”? Ulf Carsson

Você pode pensar que não liga para a sua privacidade, mas a chance é que você provavelmente ligue. Todos os dias nós fazemos coisas em nossas casas que não faríamos em público. Isso não é porque temos algo a esconder, mas apenas porque há partes de nossas vidas que preferimos manter privadas. John Oliver, apresentador do programa de TV nos Estados Unidos Last Week Tonight, perguntou às pessoas em Nova York como elas se sentiam sobre o governo olhar suas fotos sexuais pessoais(embora ele tenha colocado de forma um pouco mais crua). Como era de se esperar, as pessoas se sentiram menos confortáveis quando imaginaram agentes do governo olhando para suas imagens mais pessoais.

3. “Aliás, querer minha privacidade NÃO é o mesmo que ter algo a esconder.” James Earl Walsh

Vigilância em massa é uma intrusão sem precedentes na privacidade de pessoas comuns. Em nenhuma época da história nós aceitamos que governos pudessem monitorar tudo o que fazemos para nos manter seguros. Imagine se nos dissessem que queriam instalar câmeras em nossas salas de estar, ou microfones sob mesas de cafeterias, para garantir que pegariam criminosos. Esse é o equivalente, no mundo físico, à vigilância em massa online. Esse é o maior excesso de poder do governo e nós consentimos toda vez que dizemos que “não temos nada a esconder”. Em vez disso, deveríamos dizer aos governos: “Não tenho nada a esconder e minha vida privada não é da sua conta”.

4. Nada a esconder – enquanto você concordar 100% com a posição e as políticas de seu governo” . Emile Kate Goulding

Assim como o direito a protestar, nossa privacidade é algo que notamos mais quando é tirada de nós. Durante a história, inocentes e superficiais informações sobre pessoas foram usadas para processá-las em momentos de crise. Você pode confiar em seu atual governo para procurar por criminosos e não fazer nada desonesto com seus dados. Mas e se isso se alterar e mudar radicalmente para a esquerda ou para a direita? Nessas situações, autoridades poderiam reunir informações para encontrar e reprimir grupos dos quais discordem. Eles podem usar a informação para mirar jornalistas, processar ativistas e discriminar minorias.

5. “A premissa é que aqueles atrás das câmeras terão o melhor interesse pelas pessoas em mente” Roland van der Sluijs

Você pode pensar que não fez nada errado, mas coloca uma fé cega de que as pessoas que estão olhando seus dados pensem da mesma maneira. Como o delator da NSA, Edward Snowden, nos disse: “Essas pessoas estão procurando por criminosos. Você pode ser a pessoa mais inocente do mundo, mas se alguém programado para encontrar padrões de criminalidade encontrar em seus dados, eles não irão achar você – eles acharão um criminoso”.

6. “Você realmente deseja viver uma vida de repetição mecânica, obedecendo a tudo?” Jim Hengjian

Evidências sugerem que sabendo que está sendo monitorado você muda seu comportamento. E, quando nos tornamos mais conscientes de que algarismos de computador e bases de dados são usados para prever atividades criminais, nós nos tornamos mais preocupados com o que dizemos online. Vamos começar a evitar dizer ou fazer qualquer coisa controversa, em caso disso ser mal-entendido. Como resultado, as sociedades se tornarão muito conformistas, com ninguém disposto a desafiar o status quo.

7. “Se não temos nada a esconder, por que estamos sob vigilância?” Jake Lawler

Em poucas palavras, a melhor resposta a “Eu não tenho nada a esconder” sempre será: “Se eu não fiz nada errado, por que minha privacidade está sendo violada?”

E aqui está uma seleção de algumas outras respostas que você pode usar no debate “nada a esconder”:

“Privacidade NÃO é para esconder, nunca foi; privacidade é para proteção, ponto”. Sam Isarlacc

“Cara, você deve estar vivendo o tipo de vida mais vazia possível se você não tem nada a esconder de ninguém”.  Mitxel Moriana

“Só porque você não tem nada a esconder não significa que você não deve ter privacidade”.  Trilogy Gunby

“Nós temos DIREITO à privacidade. Se alguém é suspeito de algum tipo de atividade criminal, então uma ordem judicial para vigilância deve ser obtida”. Amy Rouby

“Quando qualquer tipo de dissidência do status quo se torna ilegal, a resistência se torna quase impossível. Contanto que você não questione nada sobre o que os que estão no poder fazem, você estará seguro. Viva”. Roland van der Sluijs

“Goste você ou não, nós temos o direito de não sermos espionados sem causa provável”. Mary Shepard

Ben Beaumont

VER TODOS OS POSTS    
Imprimir

Mais Posts

14 de dezembro de 2018 Anistia Internacional Tags: , ,

Uma conversa de Marielle com Deus

Fico imaginando como seria uma conversa dela, antes de nascer, ainda no ventre de sua mãe, com Deus.

13 de dezembro de 2018 Anistia Internacional Tags: , ,

Kumi Naidoo: Se não lutarmos por tudo, não teremos nada

Em 10 de dezembro de 1948, 58 países concordaram sobre como poderíamos viver em liberdade, igualdade e dignidade. Apesar dos avanços, direitos econômicos e sociais geralmente são ignorados.

10 de dezembro de 2018 Anistia Internacional Tags: , ,

Um ano marcado pela resistência das mulheres

Em 2018, em todo o mundo as mulheres têm estado na linha de frente da batalha pelos direitos humanos.
Ver todos os posts
Resultados

Conheça alguns dos casos de sucesso que foram trabalhados pela Anistia Internacional.

Saiba mais